“Dor muito grande”, diz prima de um dos motoristas assassinados

Corpos foram encontrados com marcas de facão e dentro de sacos plásticos, em Salvador (BA). Suspeitos ainda não foram encontrados

atualizado 14/12/2019 16:18

Divulgação/TV Record

A prima de Alisson Silva Damasceno, de 27 anos, um dos motoristas de aplicativo assassinados na manhã dessa sexta-feira (13/12/2019), na comunidade Paz e Vida, bairro da Mata Escura, em Salvador (BA), pediu para que o responsável pelo crime não fique impune. Adriana Fonseca ainda lamentou o episódio: “Uma dor muito grande”.

“Espero que não aconteça mais outra tragédia dessa na família, porque eu também tenho outras pessoas que trabalham como Uber [motorista de aplicativo]. É uma dor muito grande pra nós da família. Que a morte dele não fique impune”, disse Adriana.

As informações são do portal G1.

Os corpos dos quatro motoristas foram encontrados com marcas de facão e dentro de sacos plásticos perto de seus veículos. Os suspeitos ainda não foram encontrados.

De acordo com a Polícia Militar, havia um quinto motorista que conseguiu fugir. Ele contou à corporação que as vítimas foram rendidas por três homens não identificados após caírem em uma emboscada. Eles foram induzidos a irem ao local do crime depois de atenderem a chamados para corridas.

As vítimas são: Alisson Silva Damascena dos Santos, 27 anos, Sávio da Silva Dias, 23, e Daniel Santos da Silva, 30. O quarto motorista, contudo, ainda não foi identificado. A PM informou que todos foram colocados em cativeiro por algumas horas, torturados e mortos depois, separadamente.

De acordo com o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), os condutores foram mortos em um barraco nas proximidades do local onde os corpos foram encontrados. O imóvel era feito de pedaços de madeira, com chão de barro e só havia um fogão velho e sangue no chão. Encontraram ainda um gambá morto sobre uma cama e poças de sangue.

Ainda não se sabe o que teria motivado os crimes.

Últimas notícias