Direitos humanos: ONU coloca Brasil na lista de “preocupações”

Alta comissária, Michelle Bachelet, apontou violações e"retrocessos significativos" em políticas públicas para proteger indígenas

Reprodução/Twitter

atualizado 27/02/2020 10:19

A ex-presidente do Chile e alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, incluiu o Brasil na lista de 30 locais do mundo em que essas garantias levantam “preocupações urgentes”.

No discurso anual sobre violações de direitos humanos, Bachelet afirmou que ataques contra defensores dos direitos humanos apontam para “retrocessos significativos” em políticas públicas para proteger o meio-ambiente, indígenas e para esforços com o objetivo de deslegitimar o trabalho da sociedade civil e de movimentos sociais.

Na ONU, Bachelet subiu o tom. “No Brasil, ataques contra defensores dos direitos humanos, incluindo assassinatos — muitos dos quais de líderes indígenas — estão ocorrendo em um contexto de retrocessos significativos em políticas de proteção do meio ambiente e dos direitos de pessoas indígenas. Há ainda um aumento da tomada de terras de afrodescendentes e indígenas”, criticou.

A ex-presidente chilena ainda reclamou, sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), “de esforços do governo brasileiro para deslegitimar o trabalho da sociedade civil e de movimentos sociais”.

Esta é a segunda vez que Bachelet critica o Brasil. Em setembro do ano passado, ela afirmou que a situação dos direitos humanos no país estava em um processo de “encolhimento do espaço cívico e democrático“.

Últimas notícias