Padre Júlio Lancellotti vence prêmio de direitos humanos em São Paulo

Com recorde de indicações, coordenador da Pastoral do Povo de Rua recebe, nesta sexta, o 7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns da Prefeitura

São Paulo – Com um número recorde de indicações, o padre Júlio Lancellotti, coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, venceu o 7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns. A premiação é promovida pela Prefeitura desde 2014 e reverencia quem lutou pelos direitos humanos na cidade.

Ele recebeu 15.598 indicações para o prêmio, de um total de 16.643. O processo de escolha aconteceu por meio de um edital de chamamento público, com um formulário on-line aberto à sociedade civil. Com base nas indicações, o Comitê Municipal de Educação em Direitos Humanos elegeu uma lista tríplice, enviada ao prefeito para a escolha final.

1/3
Coordenador da pastoral do Povo de Rua, o padre Julio Lancellotti, da paróquia São Miguel Arcanjo, no bairro da Mooca, em São Paulo (SP)
Padre Júlio Lancellotti recebe prêmio de direitos humanos da Prefeitura de SP
Vatican City (Vatican City State (holy See)), 17/06/2017.- Pope Francis after his private audience with German Chancellor Angela Merkel (not in picture) at the Vatican, 17 June 2017. (Papa) EFE/EPA/ETTORE FERRARI

Conhecido por estar à frente de vários projetos de atendimento à população carente, em especial pessoas em situação de rua, o padre Júlio vem recebendo ameaças por seu trabalho social. No início do ano, policiais teriam dito que “a hora do padre Júlio Lancelotti vai chegar”, no Belenzinho, zona leste da cidade, segundo o relato de três jovens moradores de rua.

Em setembro, ele registrou boletim de ocorrência após ter sido xingado por um motoqueiro, enquanto fazia trabalho de atendimento a moradores de rua no centro da cidade. “Padre filho da p. que defende noia [usuário de droga]”, disse o motoqueiro, segundo o padre Júlio.

Em outubro, padre Júlio recebeu uma ligação do papa Francisco. Segundo ele, o papa disse que viu as fotos do trabalho do religioso e pediu que “não desanimemos e façamos sempre como Jesus, estando junto dos mais pobres”.

Troféu

Em uma cerimônia restrita a convidados no auditório da Secretaria de Justiça do Estado na tarde desta sexta-feira (11/12), às 15h, o padre Júlio Lancellotti receberá um troféu de autoria de Tomie Othake, além de um certificado. A premiação faz parte da programação do Festival de Direitos Humanos e será transmitida pelas redes sociais.

Confira os vencedores de todas as edições:

  • 2014: Frei Betto
  • 2015: Luiza Erundina
  • 2016: Padre Jaime Crowe
  • 2017: Mara Gabrilli
  • 2018: Paulo Pedrini
  • 2019: Margarida Bulhões Pedreira Genevois
  • 2020: Padre Júlio Lancellotti