*
 

Antes de o deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) ler o seu parecer sobre o projeto de lei responsável por regulamentar o teto remuneratório do funcionalismo público, os deputados se adiantaram e pediram vista coletiva ao texto e ao substitutivo para o projeto.

Uma comissão especial da Câmara dos Deputados iria analisar o parecer na tarde desta terça-feira (12/6). Com o pedido, uma nova data para a votação deve ser marcada. Bueno é o relator do projeto e apresentou o texto na segunda-feira (11/6), prevendo uma economia de pelo menos R$ 2,3 bilhões com o fim dos penduricalhos.

Entre os deputados que pediram vista estavam Joaquim Passarinho (PSD-PA), Laerte Bessa (PR-DF) e Alberto Fraga (DEM-DF), todos integrantes da Frente Parlamentar da Segurança Pública e contrários à lei do teto de salários.

“Nós já perdemos 1.900 policiais que pediram para ir para reserva desde o início da tramitação desse projeto. Se ele for adiante, vamos perder mais dois mil policiais só aqui no Distrito Federal (DF). Precisamos ter calma e discutir melhor esse assunto”, disse Fraga.

O líder do PSDB na Câmara, Nilson Leitão (MT), também pediu vista ao parecer e solicitou mais tempo de discussão do que as duas sessões mínimas regimentais devido às semanas de festividades de São João e à Copa do Mundo. De acordo com o presidente da Comissão, Benito Gama (PTB-BA), o texto deve retornar à pauta daqui a duas sessões plenárias.

 

 

COMENTE

Câmara dos Deputadosfuncionalismoteto remunatório
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil