Covid: média móvel de mortes é de 649, a maior desde agosto de 2021

O Brasil registrou 893 novas mortes por Covid-19 e 172.903 novos casos da doença nas últimas 24 horas

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 893 mortes provocadas pela Covid-19 e a média de óbitos diários foi a 649, a maior já registrada desde 31 de agosto do ano passado, quando o indicador marcava 643 falecimentos. O número é 173% maior que o verificado há 14 dias.

O país também computou, nesta quarta-feira (2/2), 172.903 casos confirmados. A média diária de infecções pelo coronavírus está em 179.604, um aumento de 79% em comparação ao índice de 14 dias atrás.

Os dados são do mais recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Ceará e Goiás apresentaram problemas em seus sistemas de informação e não tiveram os dados contabilizados.

No total, o Brasil já perdeu 628.960 vidas para a doença e computou 25.793.112 casos de contaminação.

Confira, no gráfico a seguir, o histórico da pandemia no país:

Devido ao tempo de incubação do novo coronavírus, adotou-se a recomendação de especialistas para que a média móvel do dia seja comparada à de duas semanas atrás.

Variações na quantidade de mortes ou de casos de até 15%, para mais ou para menos, não são significativas em relação à evolução da pandemia. Já percentuais acima ou abaixo devem ser encarados como tendência de crescimento ou de queda.

Os cálculos são feitos pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles.

Média móvel

Acompanhar o avanço da pandemia de Covid com base em dados absolutos de morte ou de casos está longe do ideal. Isso porque eles podem apresentar variações diárias muito grandes, principalmente atrasos nos registros. Nos fins de semana, por exemplo, é comum perceber redução significativa dos números.

Para reduzir esse efeito e produzir uma visão mais fiel do cenário, a média móvel é amplamente utilizada ao redor do mundo. A taxa, então, representa a soma das mortes divulgadas em uma semana dividida por sete.

O nome “móvel” é porque varia conforme o total de óbitos dos sete dias anteriores.

1/8
Debarchan Chatterjee/NurPhoto via Getty Images
Taxa de transmissão da Covid-19 no Distrito Federal chegou a 2,61. Acima de 1 é considerado preocupante
Crianças de 5 a 11 anos podem se vacinar no DF
A dose de reforço deve ser administrada com um intervalo mínimo de quatro meses após o indivíduo completar o esquema vacinal inicial. A aplicação extra serve para aumentar a quantidade de células de memória e fortalecer, ainda mais, os anticorpos que elas produzem
Todo o procedimento é simples e feito em poucos minutos. As marcas garantem 85% de eficácia na detecção do vírus. Se aprovado no Brasil, será necessário que o resultado seja registrado no SUS. Até o momento, não há definição quanto ao uso do autoteste no país. A Anvisa pediu mais dados ao Ministério da Saúde e adiou a decisão
Caso apareça duas linhas vermelhas, uma ao lado de cada letra, o seu resultado foi positivo para coronavírus. Caso apareça apenas uma linha vermelha ao lado da letra C, o resultado foi negativo. No caso de nenhuma linha aparecer ou aparecer ao lado da letra T, o resultado foi inválido
Em um tubinho com a solução, movimentos circulares e aperte o cotonete no tubo para espremer o algodão e garantir que todo o líquido saia. Em seguida, feche o recipiente
Deputada tomou duas doses da vacina e, por isso, apresenta sintomas leves