Covid-19: golpista oferece testes e “comissão” a servidora. Polícia impede

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) identificou uma mulher que se passava por representante de uma empresa internacional oferecendo testes rápidos de Covid-19 ao estado. Além disso, a investigada também é suspeita de corrupção ativa por oferecer comissão a uma servidora pública para ter preferência na negociação. Segundo apurado, a mesma mulher tinha endereços […]

atualizado 11/07/2020 13:04

imagem de mulher segurando uma vacinaSarayut Thaneerat/Getty

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) identificou uma mulher que se passava por representante de uma empresa internacional oferecendo testes rápidos de Covid-19 ao estado.

Além disso, a investigada também é suspeita de corrupção ativa por oferecer comissão a uma servidora pública para ter preferência na negociação.

Uma investigação da Polícia Civil descobriu uma tentativa de venda milionária de testes rápidos para Covid-19. Testes que nunca existiram

Segundo apurado, a mesma mulher tinha endereços em Goiás e São Paulo. Ela chegou a morar em Belo Horizonte, mas se mudou para a capital paulista depois de aplicar golpes por meio de uma empresa de cerimonial e entrar no radar das autoridades.

A reportagem completa você encontra no Bhaz, parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias