Corpo achado na Baía de Guanabara é de jovem desaparecida, afirma perícia

O principal suspeito do crime é o ex-namorado da vítima, Dalton Vieira Santana, que não aceitava o fim do relacionamento

atualizado 13/01/2021 15:33

Bianca LourençoArquivo Pessoal

Uma perícia realizada por meio de um exame de impressões digitais, nesta quarta-feira (13/1), confirmou que o corpo encontrado mutilado em uma praia da Ilha do Fundão, na Baía de Guanabara (RJ), é de Bianca Lourenço, 24 anos, desaparecida desde 3 de janeiro.

O principal suspeito do crime é o ex-namorado da vítima, Dalton Vieira Santana, apontado como chefe do tráfico de drogas na comunidade da Kelson’s, na Penha. O corpo de Bianca foi encontrado a partir de ligações ao Disque Denúncia. As informações são do G1. 

Segundo testemunhas, a vítima foi morta por Dalton ou a mando dele, que não aceitava o fim do relacionamento dos dois. A polícia, entretanto, ainda não confirmou essa versão dos fatos. O corpo de Bianca foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Investigações

A Polícia Civil informou que a jovem foi retirada à força de um churrasco com amigos pelo ex-namorado. As investigações apontam que depois de tirar Bianca da festa, o suspeito a levou para a Favela Kelson’s. Desde então, ninguém mais teve contato com a jovem.

A família chegou a fazer buscas pela vítima na favela, mas não encontrou nada. O pai de Bianca se encontrou com Dalton e ele, que teria admitido que matou a ex-namorada para outras pessoas, não conseguiu falar a verdade para o pai de Bianca.

“Para todos, ele falou que matou ela. Não falou para mim, mas falou para outros. Falou que tinha colocado ela num carro e que tinha mandado ela embora. Mentira. Ela já tinha que estar aqui em casa há muito tempo, se isso fosse verdade”, afirmou.

O pai da jovem contou que havia três meses que estava preocupado com a segurança da filha. Bianca estava vivendo com ele há dois meses em outro bairro, após deixar a favela e terminar o namoro.

“Pedi a ele pra me ajudar se ele pudesse… Se tivesse acontecido, se ele pudesse devolver o corpo da minha filha, que poderia me entregar do jeito que tivesse, que ele poderia me tirar pelo menos a dor de pai, pelo menos de eu poder enterrar minha filha”, finalizou.

0

Últimas notícias