Conselho de Ética vota cassação de Dr. Jairinho nesta segunda-feira

Vereador é acusado da morte do enteado, Henry Borel, de 4 anos, e de torturar três crianças, todos filhos de ex-namoradas do parlamentar

atualizado 28/06/2021 10:44

prisao jairinho e mãe do henry Monique Medeiros durante prisão 4Reprodução/TV Globo

Rio de Janeiro – A Câmara do Rio escreve, nesta segunda-feira (28/6), mais um capítulo do processo de cassação do mandato do vereador Jairo José Santos Junior, o Dr. Jairinho. Ele está preso desde 8 de abril acusado do homicídio do enteado, o pequeno Henry Borel Medeiros, de 4 anos.

Mãe da criança, a namorada de Jairo, a professora Monique Medeiros também segue presa, acusada de envolvimento na morte do filho.

Neste novo passo, o Conselho de Ética da Câmara de Vereadores do Rio vota se cassa ou não o mandato do parlamentar, que está afastado das funções, teve o salário suspenso e sua equipe dispensada, como determina o regimento da Casa. Para que a cassação se confirme, é necessária a maioria absoluta de votos entre os sete representantes do conselho.

Relator do do processo, o vereador Luiz Ramos Filho (PMN) diz que os indícios das agressões promovidas por Jairinho contra o menino Henry Borel foram decisivos para este afastamento do parlamentar.

“Não restou alternativa a esta Casa de Leis senão a instauração do procedimento para apurar o ato incompatível com o decoro parlamentar praticado pelo vereador Jairo José Santos Junior, o Dr. Jairinho”.

A votação desta segunda-feira, marcada para 11h, terá participação de dos vereadores Alexandre Isquierdo (presidente), Rosa Fernandes (Vice-presidente), Rogério Amorim (Secretário), Chico Alencar (PSOL), Zico (Republicanos), Teresa Bergher (Cidadania) e Luiz Ramos Filho (PMN) relator.

Caso o conselho vote pela cassação, o ato será publicado nesta terça-feira (29). A votação será levada a plenário na próxima quarta-feira (30). Neste caso, o afastamento de Jairinho deve ser aprovado por dois terços dos vereadores, com 34 votos.

Mais lidas
Últimas notícias