*
 

Se há um recurso multimídia que tem mexido com a internet nos últimos dois anos é a possibilidade de registrar cenas em 360°. Não é à toa que gigantes como Facebook e YouTube investiram na solução e passaram a estimular a produção de conteúdos que permitem novas interações com os personagens e cenários registrados.

No entanto, a tarefa de realizar vídeos em 360° nem sempre foi fácil. Desde a captação até a publicação, o processo era custoso e exigia várias câmeras, softwares específicos, além de avançado conhecimento de edição. Tudo mudou desde a chegada ao mercado da Gear 360, câmera lançada em junho pela Samsung que facilita a vida do usuário e permite gravar ou fazer fotos panorâmicas de uma maneira rápida e sem complicações.

O gadget, de apenas 19 centímetros de circunferência e produzido em formato de globo, conta com duas lentes de 180° capazes de gravar vídeos em alta resolução de 3840 x 1920px e fotos em 25,9 megapixels. E é justamente aí que está a primeira vantagem. Pelo fato de ter apenas duas lentes, quase não é possível identificar na cena em 360° onde estão as “colagens” dos frames. Principalmente em cenários abertos e com movimentação. Porém, quando os objetos estão muito próximos o resultado não fica tão legal (assista ao vídeo do picknik).

Áudio e luminosidade
Além disso, o aparelho conta com dois microfones que captam áudio frontal e traseiro, possibilitando uma experiência interessante de imersão na cena registrada. No entanto, mesmo com um captador de áudio que garanta um som melhor do que o das câmeras compactas convencionais, a Samsung Gear 360 não conta com conexão para microfone externo. Uma pena.

No modo foto, a abertura das lentes de f/2.0 permite captar luz de forma considerável, gerando imagens de excelente qualidade. Durante os testes, o resultado foi excepcional em ambientes externos com boa iluminação. No modo filmagem a qualidade também é acima da média. Porém, vale ressaltar que o foco não é automático e, por vezes, a nitidez dos objetos fica comprometida. Além disso, o equipamento grava timelapses. A bateria de 1,350 mAh dura aproximadamente 1h30 direto em modo gravação.

A Gear 360 vem com um pequeno tripé de seis centímetros que ajuda na hora da estabilização. Quem preferir, pode recorrer a tripés maiores ou a outros tipos de suportes que contam com rosca 3/8″. Durante uma gravação, por exemplo, utilizamos um suporte de ventosa preso ao teto do carro para gravar um giro pela Esplanada dos Ministérios.

Vale lembrar, no entanto, que a câmera não conta com um sistema de estabilização embutido para minimizar as oscilações. Então, caso a gravação não seja em situações estáticas, é provável que as cenas fiquem um pouco tremidas.

O equipamento chama a atenção pelo design. O pequeno dispositivo até lembra o carismático robô BB8 de Star Wars, com suas formas arredondadas e traços futuristas. Produzido com um material de qualidade, a câmera conta com encaixes precisos e com a certificação IP53, que a torna resistente à poeira e a pequenas gotas d’água. Apesar de a posição dos três botões (ligar, gravar e menu) confundir, inicialmente, nos primeiros manuseios, basta alguns registros para que o usuário se adapte com a localização dos comandos.

Um pequeno display LED na parte superior, próximo ao botão de gravação, ajuda a navegar pelas funcionalidades, além de permitir visualizar informações como tempo de gravação, nível da bateria ou capacidade de armazenamento disponível no cartão micro SD — de até 128GB.

Edição simples… para PC
O usuário tem duas maneiras para conferir os resultados das imagens feitas pela Gear 360. A primeira, e mais fácil, é com algum smartphones top de linha da Samsung (Galaxy Note7, Note5, S7, S7 Edge, S6, S6 Edge, S6 Edge+). A transmissão de imagem ocorre via bluetooth e o app se encarrega de realizar automaticamente todo o trabalho para subir o conteúdo para as redes sociais. Porém, infelizmente, a compatibilidade é apenas com esses aparelhos e os donos de iPhone ou de smartphones Android menos potentes devem recorrer a uma outra solução de edição: no próprio computador.

Reprodução

360 Gear Action Director: Disponível apenas para Windows

Para isso, basta instalar o software 360 Gear Action Director (disponível apenas para Windows) e subir os arquivos no computador. Mesmo em uma máquina com desempenho razoável, com Core i7 de 8GB de RAM, o processo de exportação foi trabalhoso, demorando aproximadamente 12 minutos para converter um vídeo de 1 minuto (790 GB). No entanto, o programa se mostrou extremamente fácil de ser utilizado e até permite inserir textos dentro das imagens.

Por quebrar um paradigma no segmento e entregar praticidade com eficiência, a Samsung Gear 360 vale o que custa. No entanto, seu uso é limitado e deve ser mais atrativo principalmente para quem trabalha com internet e busca soluções inovadoras em audiovisual. Aliada com o Gear VR, óculos de realidade virtual da marca sul-coreana, a câmera possibilita criar novas narrativas e oferecer uma experiência diferenciada em um segmento com tanto potencial como é o de vídeo.

 

 

COMENTE

samsungReview
comunicar erro à redação

Leia mais: Ciência