Chanceler atribui aumento da temperatura da Terra a asfalto quente

A fala do ministro Ernesto Araújo durante uma audiência no Congresso se espalhou pelas redes sociais, causando surpresa e indignação

atualizado 30/05/2019 21:49

Marcos Corrêa/PR

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse que a temperatura da Terra pode ser maior ou menor de acordo com os locais onde ocorreram as medições.

“Nos Estados Unidos, foi feito um estudo sobre estações meteorológicas, e diz que muitas estações que, nos anos 30 e 40, ficavam no meio do mato, hoje ficam no asfalto, na beira do estacionamento. É óbvio que aquela estação vai registrar um aumento extraordinário da temperatura, comparado com a dos anos 50. E isso entra na média global”, detalhou o chanceler, durante uma audiência no Congresso Nacional nesta quinta-feira (30/05/2019).

A afirmação se espalhou pelas redes sociais, causando surpresa e indignação. A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) publicou o vídeo em seu Twitter, com a frase “Parece mentira, mas não é”.

Confira:

O ministro questionou ainda as evidências científicas de aumento da temperatura terrestre nos últimos 200 anos. Ao apontar supostos equívocos nas medições atuais, o chanceler afirmou ser “necessária uma discussão aberta e não ideológica desse tema”.

“Não há um termostato que meça a temperatura global. Existem vários termostatos locais”, explicou Araújo aos deputados da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara.

Últimas notícias