Cão que pastor deu para Flordelis de presente morreu 1 mês após crime

Niel, como era chamado o golden retriever, foi enterrado no quintal da família, mesma casa em que Anderson foi assassinado

atualizado 27/08/2019 16:15

Igo Estrela/Metrópoles

Um dos dois cachorros da casa da deputada Flordelis (PSD-RJ) morreu no dia 16 de julho, um mês após o assassinato do pastor Anderson do Carmo. O animal, da raça golden retriever, foi dado de presente à parlamentar pelo pastor, que era seu marido. O cão se chamava Niel, apelido de Anderson. As informações são do jornal Extra.

O cachorro passou mal e chegou a ser levado para o veterinário, mas não resistiu. Ele foi enterrado no quintal da própria casa da família, em Pendotiba (RJ), onde o pastor foi morto. O animal foi dado por Anderson para Flordelis no Dia das Mães de 2013, durante um culto na igreja fundada por eles. A deputada ainda tem uma cadela, chamada Lelis.

Familiares de Flordelis suspeitaram que os animais haviam sido dopados na ocasião da morte do pastor. Eles contaram que os cachorros sempre latiam com a chegada de pessoas, mesmo quem morava na casa. No dia do crime, eles não latiram. Amostras de urina e sangue dos animais foram colhidas por uma veterinária acionada pela polícia.

Anderson do Carmo foi morto a tiros na madrugada de 16 de junho, na casa da família. Dois filhos de Flordelis, Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos de Souza, estão presos por suspeita de participação no assassinato. Flávio, filho biológico apenas da pastora, admitiu ter dado seis tiros em Anderson. Já Lucas, filho adotivo de ambos, é acusado de ter ajudado o irmão a comprar a pistola usada no crime.

Últimas notícias