*
 

A campanha “Você tem o direito de saber o que come” chegou às ruas Distrito Federal (DF) nesta semana. É possível ver a peça em banners de pontos de ônibus, relógios de rua e no aeroporto.

Desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), como parte da aliança pela alimentação adequada e saudável, a ação tem como objetivo mostrar  a necessidade de rótulos de alimentos que informem claramente o que a população está comendo, chamando a atenção para o debate que ocorre na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão responsável por regular a rotulagem no Brasil.

“Optamos por falar diretamente com a agência, pois é ela quem irá decidir qual o modelo de rotulagem nutricional irá para consulta pública”, explica Teresa Liporace, gerente de Programas e Políticas do Idec.

As peças da campanha apresentam informação sobre pesquisa realizada pelo instituto em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (Nupens/USP). O estudo identificou que 76% dos brasileiros entenderiam o que estão comendo com a utilização de um rótulo na parte da frente das embalagens em formato de triângulo.

O modelo de rotulagem defendido pelo Idec (veja abaixo) foi elaborado em parceria com pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e propõe a inclusão de um triângulo de advertência na parte da frente da embalagem de produtos processados e ultraprocessados (como sopas instantâneas, refrigerantes, biscoitos, etc.). O objetivo é indicar quando há excesso dos nutrientes críticos, como açúcar, sódio, gorduras totais e saturadas, além da presença de adoçante e gordura trans em qualquer quantidade.


A Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável é uma coalizão composta por organizações da sociedade civil como o Idec, ACT Promoção da Saúde, Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), além de profissionais e movimentos sociais envolvidos na promoção da alimentação saudável e da saúde pública. (Com informações do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor)