Câmara de Vereadores do Rio afasta Jairinho da Comissão de Justiça

Decisão de afastar padrasto do menino Henry Borel foi publicada no Diário Oficial

atualizado 19/04/2021 12:57

Monique Medeiros mãe do Henry são presos por morte do menino no Rio saindo da CidpolAline Massuca/Metrópoles

Rio de Janeiro – O presidente da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, Carlo Caia (DEM), decidiu afastar o médico e vereador Jairo Souza Santos Junior (sem partido), Dr. Jairinho, da Comissão de Justiça e Redação, uma das mais importantes da Casa por onde passam todos os projetos de lei.

Padrasto do menino Henry Borel, de 4 anos, ele e a mãe Monique Medeiros estão presos suspeitos de envolvimento na morte do garoto no dia 8 de março.

A decisão foi publicada no Diário da Câmara desta segunda-feira (19/4) e leva em consideração  a expulsão de Jairinho do partido Solidariedade. Isso porque, as vagas nas comissões pertencem aos partidos e blocos parlamentares.

Uma eleição será realizada em plenário para escolher um interino para a comissão. Jairinho também já foi afastado do Conselho de Ética da Casa e da Comissão Especial que analisa a atualização do Plano Diretor da Cidade.

Caso Henry

O menino Henry Borel Medeiros morreu no dia 8 de março, ao dar entrada em um hospital da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Segundo Leniel Borel, ele e o filho passaram o fim de semana juntos, normalmente.

Por volta das 19h do dia 7 de março, o pai o levou de volta para casa, onde o menino morava com a mãe, Monique a, e com o vereador e médico Dr. Jairinho (sem partido).

Ainda segundo o pai de Henry, por volta das 4h30 do dia 8, ele recebeu uma ligação de Monique falando que estava levando o filho para o hospital, porque ele apresentava dificuldades para respirar.

Leniel afirma que viu os médicos tentando reanimar o pequeno Henry, sem sucesso. O menino morreu às 5h42, conforme boletim policial registrado pelo pai da criança.

0

 

Últimas notícias