Cachorras Blue e Babalu buscam novo lar após donos morrerem de Covid

A Organização Não Governamental (ONG) Adote Pet Sertãozinho é responsável por cuidar dos detalhes da adoção

atualizado 02/05/2021 11:02

Cachorras Blue e BabaluReprodução/Redes Sociais

As cachorras Blue e Babalu precisam de uma nova família. Desde que os donos morreram de Covid-19, em Sertãozinho (SP), os animais ficaram sem ter para onde ir. A Organização Não Governamental (ONG) Adote Pet Sertãozinho é responsável por cuidar dos detalhes da adoção.

No último sábado (1º/5), em publicação nas redes sociais, a ONG compartilhou imagens das cadelas e informou que a casa onde elas viviam com os antigos tutores precisará ser alugada. Por isso, as cachorras precisam de um novo lar.

“Infelizmente essas duas ‘doguinhas’ ficaram órfãs, perderam seu papai e mamãe para a Covid-19 em menos de um mês. A casa onde moravam era alugada e precisa ser desocupada! São ‘doguinhas’ porte pequeno!”, informou a página.

Covid-19

Em entrevista ao portal G1, o filho do casal, o psicólogo Ronaldo Ferreira Batista, disse que os pais morreram em fevereiro e em março. Natalina de Fátima Aparecida tinha 59 anos e trabalhava como cuidadora de idosos. Ela faleceu em 24 de fevereiro. O marido, José Teófilo Ferreira Batista, era aposentado. Morreu 12 dias após a mulher, em 8 de março.

Ronaldo vai até a casa onde os pais viviam duas vezes ao dia para alimentar as cadelas, mas afirma que não pode adotá-las, pois não há espaço no apartamento em que vive. O psicólogo tem esperança de que os animais sejam acolhidos por um novo tutor em breve.

“Mesmo diante da dor, a gente tem a capacidade de ajudar e confortar o coração de outra pessoa e, por que não, o de um animal?”, disse Ronaldo ao G1.

0

Ele disse que os pais faziam parte de grupos de risco para a Covid-19: a mãe estava acima do peso e o pai era cadeirante, hipertenso e diabético. Ronaldo lembra que as cadelas eram muito amadas por José e Natalina e que os animais sentem muita falta dos antigos tutores.

“Como meu pai ficava em casa, ele passava o dia todo com elas. Toda vez que eu abria a porta, elas latiam na expectativa de que fossem eles. Foi bem triste ver a esperança que elas tinham de ver meus pais voltarem para casa”, diz.

Como adotar?

Pessoas interessadas em adotar Babalu e Blue devem entrar em contato com a ONG Adote Pet Sertãozinho. Os contatos são: (16) 98840-7095 (Elisa) e (16) 99276-5207 (Renata).

 

Últimas notícias