Bolsonaro ameaça baixar decreto para abrir comércio: “Poder de força”

“Se tiver que baixar decreto [para reabrir comércios], ele será cumprido. E ninguém vai contestar", afirmou o presidente

atualizado 05/05/2021 14:53

Jair BolsonaroMichael Melo/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ameaçou nesta quarta-feira (5/5) baixar um decreto para reabrir as atividades comerciais. “Se tiver que baixar decreto [para reabrir comércios], ele será cumprido. E ninguém vai contestar.”

“Nas ruas, já se começa a pedir, por parte do governo, que ele baixe um decreto. E se eu baixar um decreto, vai ser cumprido, não será contestado por nenhum tribunal, porque ele será cumprido. E o que constaria no corpo desse decreto? Constariam os incisos do art. 5º da Constituição”, afirmou. O artigo mencionado trata do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

“O Congresso, ao qual integrei, tenho certeza que estará ao nosso lado. O povo. ao qual nós — Executivo e parlamentares — devemos lealdade absoluta, obviamente estará ao nosso lado. Quem poderá contestar o art. 5º da Constituição? O que está em jogo? E alguns ainda ousam, por decretos subalternos nos oprimir. O que nós queremos do art. 5º de mais importante? Queremos a liberdade de cultos, queremos a liberdade para poder trabalhar, queremos o nosso direito de ir e vir. Ninguém pode contestar isso. E esse decreto que eu baixar, repito: será cumprido, juntamente com nosso Parlamento, juntamente com todo o poder de força que nós temos em cada dos nossos, atualmente, 23 ministros”, destacou o mandatário do país.

Exaltado, Bolsonaro atacou as medidas adotadas por governadores para conter o avanço da pandemia de Covid-19: “De onde nasceu essa excrecência para dar poderes a governadores e prefeitos? Levar desespero a famílias por não poder trabalhar. Alguns quando procuram como se conformar são proibidos de ir na igreja ou no templo. Estamos assistindo cenas de pessoas sendo presas. Onde nós estamos? Cadê a nossa liberdade? O desemprego, a miséria é terreno fértil para ditaduras”.

A declaração foi dada por Bolsonaro no Palácio do Planalto, durante a abertura da Semana das Comunicações – iniciativa da pasta comandada por Fábio Faria, em alusão ao Dia Nacional das Comunicações, celebrado neste 5 de maio.

Além de Bolsonaro e Faria, estavam presentes no evento o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, e parlamentares, como o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

0
Exposição no Congresso

Em seguida, o mandatário se deslocou ao Congresso Nacional para participar da exposição Digital Day, que contará com demonstração das aplicações práticas do uso da nova tecnologia 5G Standalone no Brasil.

A exibição, prevista para ocorrer inicialmente no Palácio do Planalto, está ocorrendo no Salão Negro do Congresso Nacional e ficará aberta até sexta-feira (7/5). O evento conta com estandes das grandes empresas que vendem tecnologia 5G, como Huawei, Nokia e Qualcomm.

0

Últimas notícias