Aumento do dólar afeta importação brasileira de equipamentos

Presidente-executivo da Abimei afirma que crise no mercado financeiro impactou na aquisição de insumos para a indústria

atualizado 06/03/2020 18:21

O aumento no número de casos confirmados de coronavírus continua afetando o mercado financeiro e pressionando o dólar. De acordo com informações do jornal O Globo, as ações na Bolsa de Valores de São Paulo seguem as acentuadas baixas do mercado global, sobretudo em Nova York, e caem mais de 4%, despencando abaixo de 98 mil pontos.

A Associação de Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais (Abimei) informou que os recentes e sucessivos recordes do dólar – que chegou a bater R$ 4,67 na manhã desta sexta-feira (06/03) e fechou o dia em R$ 4.63 – impactaram na importação de insumos essenciais para expansão da produção brasileira.

De acordo com o presidente-executivo da Abimei, Paulo Castelo Branco, algumas fábricas paralisaram novos contratos por não saberem até quando o patamar elevado da moeda norte-americana irá permanecer.

Diferença
“O pessoal está com o pé no freio. No caso da definição de contrato de uma máquina de US$ 500 mil, com sinal de 30%, uma diferença de 10% no dólar pode fazer toda a diferença no negócio”, explicou. Castelo Branco afirmou que somente as empresas que necessitam da máquina para exportar um produto estão investindo com o dólar a R$ 4,63.

A encomenda de um equipamento demora aproximadamente seis meses para chegar ao Brasil e viabilizar o início da produção. Assim, o lucro da produtividade só viria em 2021.

O setor externo teve contribuição negativa de 0,5 ponto percentual no PIB, com as exportações caindo 2,5% no fim do ano passado, ante 2018. O executivo da Abimei acredita que os próximos dois meses serão decisivos para o avanço da produção brasileira.

Últimas notícias