Araraquara entra em lockdown após detectar variante brasileira

Decreto vale a partir de segunda-feira (15/2). Nesse sábado (13/2), a cidade tinha 100% de ocupação em leitos de enfermaria e 84% em UTI

São Paulo – A Prefeitura de Araraquara determinou que a cidade entrará em lockdown a partir desta segunda-feira (15/2). A cidade é considerada um polo regional, tem cerca de 238 mil habitantes e está a 251 km da capital, São Paulo.

A decisão da Prefeitura de Araraquara ocorre após a confirmação de que duas variantes mais contagiosas do novo coronavírus circulam pela cidade —a brasileira e a do Reino Unido. As novas cepas foram identificadas pelo Instituto de Medicina Tropical, órgão vinculado à Universidade de São Paulo (USP), nessa sexta (12/2).

Atualização: Governo descartou infecção por variante do Reino Unido em segundo teste na manhã de segunda-feira (15/2).

Informações do boletim do Comitê de Contingência do Coronavírus da cidade desse sábado (13/2) também pesam na decisão. Segundo o boletim, Araraquara tinha 100% dos leitos de enfermaria e 84% dos leitos de UTI ocupados

“Isso exigirá um sacrifício maior para conter a contaminação. Nossa capacidade de internação está sendo testada, chegando próxima do colapso”, afirmou o prefeito Edinho Silva (PT).

Regras do lockdown

O período de isolamento deverá durar 15 dias. Igrejas, academias, clubes, parques estão proibidos de abrirem as portas. A circulação de pedestres, bicicletas e carros estará restrita.

A população deverá sair de casa apenas para compras em mercados, farmácias, para ir a hospitais ou outro destino extraordinário e justificado.

O comércio essencial deverá funcionar através de senhas, com fechamento completo a partir das 20h.

A fiscalização da circulação será feita pela Guarda Municipal e Polícia Militar e infratores estarão sujeitos a multa de até R$ 6 mil.

1/5
Cidade de São Paulo na fase vermelha
Cidade de São Paulo na fase vermelha
Cidade de São Paulo na fase vermelha
Cidade de São Paulo na fase vermelha
Cidade de São Paulo na fase vermelha — dezembro de 2020