Após fala de Bolsonaro, Pacheco reforça importância da vacina: “Coletividade”

A declaração foi dada um dia após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmar que decidiu não se vacinar

atualizado 13/10/2021 23:10

Cerimônia do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações conta com a presença do presidente bolsonaro, pachecoRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), defendeu, nesta quarta-feira (13/9), a vacinação e fez um apelo: que todos os brasileiros se imunizem contra a Covid-19. “Quem não tomou, por favor, tome”, disse o parlamentar.

A declaração foi dada um dia após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmar que decidiu não se vacinar. Para a justificativa, o chefe do governo argumentou que já tem anticorpos contra a doença.

“No tocante à vacina, eu decidi não tomar mais. […] A minha imunização está lá em cima, IgG está 991. Para que eu vou tomar uma vacina?”, questionou Bolsonaro. Especialistas, porém, afirmam o IgG analisado isoladamente não pode ser sinal de imunidade.

“É muito importante a sociedade ter a compreensão de que a vacina é importante, que é o método mais eficaz no combate ao coronavírus, tanto para preservar-se a si próprio, quanto para preservar a sociedade de uma proliferação da doença. Então, vacina é muito importante. Quem não tomou, por favor, tome. É muito importante para o Brasil para a gente superar essa fase de pandemia”, disse Pacheco.

“Se a vacina está disponível, é importante que todos os brasileiros a tomem, nas duas doses, quando tiver dose de reforço, também, o faça, porque isso é importante para individualidade de cada uma, mas é importante para a coletividade, para evitar a proliferação da doença”, afirmou ao ressaltar que o Senado Federal aprovou proposta para viabilizar a compra de imunizantes e que cobrou do Ministério da Saúde um cronograma de vacinação de toda a população ainda em 2021.

Últimas notícias