Após ataque hacker, governo diz que recuperou dados de vacinados

Em nota divulgada à imprensa, Ministério da Saúde informou que não houve perda de informações no processo de recuperação dos dados

atualizado 12/12/2021 12:32

hacker conect sus vacina pandemia policia federal 3Igo Estrela/Metrópoles

O Ministério da Saúde informou, neste domingo (12/12), ter finalizado o processo de recuperação dos registros de vacinação contra a Covid-19 dos brasileiros. A pasta foi alvo de um ataque hacker na última sexta-feira (10/12), e ficou impossibilitada de acessar informações sobre a imunização da população.

Em nota divulgada à imprensa, o órgão informou que não houve perda de informação no processo de recuperação dos dados.

“O Ministério da Saúde informa que o processo para recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19 foi finalizado, sem perda de informações. Todos os dados foram recuperados com sucesso”, divulgou a pasta.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Agora, o órgão trabalha para restabelecer o acesso aos sistemas que ficaram fora do ar após o ataque hacker. É o caso do ConecteSUS, aplicativo que exibe registros clínicos de pacientes – entre eles, informações sobre a vacinação contra a Covid-19.

“No momento, a pasta trabalha para restabelecer o mais rápido possível os sistemas para registro e emissão dos certificados de vacinação”, informou a pasta.

Ataque na madrugada

O ataque hacker aos sistemas do governo federal ocorreu durante a madrugada de sexta-feira (10/12) e teria “sequestrado” cerca de 50 terabytes de dados relacionados à pasta. A organização Lapsus$ Group assumiu a autoria da invasão, de acordo com a mensagem deixada no site.

Em nota oficial, o órgão informou que uma série de sistemas foram afetados: e-SUS Notifica (sistema de notificação de casos de Covid), Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), ConecteSUS e funcionalidades, como a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 e da Carteira Nacional de Vacinação Digital, que estão indisponíveis no momento.

A invasão foi definida pelos próprios hackers como “ransomware”, quando o conteúdo é “sequestrado” e cobra-se um valor, em dinheiro ou bitcoin (moeda virtual), para a devolução do material.

De acordo com a pasta, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Polícia Federal (PF) foram acionados e investigam o ataque. Além disso, o departamento de informática do Datasus trabalha para o restabelecimento dos serviços.

Portaria postergada

A situação forçou o governo a adiar, por sete dias, a exigência de quarentena e prova vacinal para turistas estrangeiros que chegam ao país. As novas regras começariam a valer neste sábado (11/12), mas foram proteladas.

Segundo o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, a portaria que detalhava as novas medidas, publicada na última quarta-feira (8/12), será postergada. Isso porque, com o ataque hacker aos sistemas, pacientes ficam impossibilitados de emitir o Certificado Digital de Vacinação contra a Covid-19 por meio do aplicativo ConecteSUS.

Mais lidas
Últimas notícias