Ação do PSol na Justiça pede saída de Wajngarten da Secom

O partido alega que há conflito de interesse entre o chefe da Secom e a empresa na qual é um dos principais sócios

O PSol protocolou, na tarde desta quinta-feira (16/01/2020) uma ação popular na Justiça do Distrito Federal para pedir a revogação imediata da nomeação do chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), Fábio Wajngarten, e do Secretário Especial Adjunto, Samy Liberman.

Assinada pelo líder da sigla na Câmara dos Deputados, Ivan Valente (SP), e pelo presidente da legenda, Juliano Medeiros, a ação também pede a anulação de todos os atos assinados por Wajngarten à frente da Secom.

De acordo com a reportagem da Folha de S. Paulo, publicada na quarta-feira (15/01/2020), Wajngarten receberia dinheiro por parte de emissoras de TV e de agências de publicidade contratadas pela própria secretaria, ministérios e estatais do governo por meio de repasses a uma empresa da qual é sócio: a FW Comunicação e Marketing.

“O caso é uma evidente afronta à Lei de Conflito de Interesses. A lei diz que integrantes da cúpula do governo são proibidos de manter negócios com pessoas físicas ou jurídicas que possam ser afetadas por suas decisões. A prática implica conflito de interesses e configura ato de improbidade administrativa”, diz o partido.