“A PM do Rio vai adotar uma abordagem mais humana”, afirma secretário

O plano de mudança nas abordagens foi apresentado ao governador do Rio, Cláudio Castro, após o assassinato de dois jovens em Belford Roxo

atualizado 17/12/2020 12:38

Dois PMs atiram em jovens negros em Belford RoxoReprodução

O secretário da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Rogério Figueiredo de Lacerda, apresentou um plano de mudança das abordagens da PM ao governador do Rio, Cláudio Castro (PSC). A atitude foi tomada após o assassinato dos jovens Edson Arguinez Júnior e Jhordan Luiz Natividade durante uma abordagem policial, no domingo (13/12), em Belford Roxo.

O secretário afirmou que pretende encontrar com as famílias dos rapazes mortos, e que, como o plano entregue ao governador do Rio, a PM vai passar a adotar uma “abordagem mais humana”.

Veja o vídeo do momento do crime:

“Eu vou procurar a família e se for possível quero encontrar com eles no nosso Quartel General. Senão, irei até o batalhão de Belford Roxo para o encontro da família. A corporação vai apoiar a família por esse momento trágico”.

“O nosso grande desafio é redução de mortes por intervenção. Eu encontrei com o governador para tratar das abordagens policiais. O nosso desafio é sempre preparar para a melhoria das abordagens e ter uma parada qualificada”, discursou.

Para o coronel, em alguns momentos, é necessário uma abordagem firme, mas não se pode generalizar. “Temos que cuidar da população com um olhar mais humano. Vamos melhorar a abordagem policial. Isso está dentro do nosso plano para cuidar da instituição”, garante o secretário.

Perguntado sobre a suspeita de que os PMs Jorge Luiz Custódio e Júlio Cesar Ferreira dos Santos foram responsáveis pelos assassinatos, Lacerda sugeriu que os acusados “responderão por suas ações”. “Não compactuamos com qualquer desvio ou crime cometido por um policial militar como o que aconteceu em Belford Roxo. Eles estão presos para responder por suas ações”, enfatizou.

Últimas notícias