A bolha do Jair: o que o presidente vê quando navega nas redes sociais

Maioria dos perfis seguidos pelo presidente são de memes do tipo "Bolsonaro opressor". Há muita bajulação e quase nenhuma visão crítica

atualizado 11/04/2021 23:44

Jair Bolsonaro em montagem com twitter e instagramGuilherme Prímola/Arte Metrópoles

Quando navega pela timeline de suas redes sociais favoritas, o presidente Jair Bolsonaro vê reafirmada a imagem de “mito” que seus seguidores mais apaixonados criaram e encontra muito negacionismo em relação à gravidade do coronavírus. Apesar de pesquisas mostrarem que uma porção cada vez maior da população perde a paciência com o governo, as críticas não perfuram a bolha que o presidente criou para si no Instagram e no Twitter, na qual visão crítica parece ser o critério de corte.

Seguido por 24 milhões de usuários na somatória das duas redes, o presidente acompanha 555 perfis no Twitter e 528 no Instagram. A mídia tradicional está praticamente excluída da lista de preferências de Bolsonaro, assim como políticos opositores – incluindo os ex-aliados.

Incluídos no cardápio presidencial estão perfis de autoridades do governo, empresas públicas, influenciadores de direita (como Olavo de Carvalho), líderes religiosos (como Silas Malafaia) e políticos aliados e muitos fãs. Artistas sertanejos e atletas dos esportes favoritos de Bolsonaro também aparecem com destaque.

Bolsonaro segue muitos perfis repetidos nas duas redes, mas há diferenças que podem fazê-lo optar por uma ou outra página. No Instagram, a maioria dos usuários que o presidente segue é de produtores de memes bolsonaristas. Perfis como “Bolsogatas”, “Trovão Opressor”, “Vire à direita”, “Mais Brasil 64”, “Bolsomito presida” e “Bolsonaro opressor” são 161 dos 528.

Veja exemplos dos posts que aparecem na timeline de Bolsonaro no Instagram:

timeline de bolsonaro no Instagram
Timeline de Bolsonaro no Instagram
Entradas e saídas

Com o governo passando por mudanças, a lista de quem Bolsonaro segue nas redes foi engordada nos últimos dias com perfis como os dos novos ministros Anderson Torres, da Justiça, e Flávia Arruda, da Secretaria de Governo.

O corte na lista depende de quem o presidente acompanha. Os ex-ministros Luiz Mandetta, Sergio Moro e Santos Cruz, Bolsonaro não segue mais. Já Ernesto Araújo, Abraham Weintraub e Regina Duarte seguem bem na fita com o presidente.

Políticos aliados são apenas 57 no Instagram, bem menos do que os 95 no Twitter. Na redes dos 280 caracteres, por outro lado, os memes têm pouco espaço e o ambiente é mais voltado ao profissional, por assim dizer.

Nas duas redes, porém, Bolsonaro segue em peso a mídia alternativa de direita, que ajuda a divulgar narrativas contra a gravidade do coronavírus e até discurso antivacinação.

Veja a estratificação do perfil de quem Bolsonaro segue no Instagram:

Veja a mesma divisão, mas no Twitter presidencial:

Fontes de críticas

É também no Twitter que Bolsonaro segue os perfis de dois representantes da mídia tradicional onde, se ver os posts, pode achar críticas a si: os jornais O Estado de S. Paulo e O Globo. O presidente tem uma ligação antiga com as duas publicações, conforme contado pela jornalista Carol Pires no podcast Retrato Narrado, da revista Piauí e da Rádio Novelo.

Ele lia o Estadão na juventude, em Eldorado (SP), e chegava a escrever para o jornal. Já O Globo foi uma maneira de se manter informado sobre o Rio de Janeiro, onde ingressou na política nos anos 1990. Como não interage com esses perfis, porém, é provável que os veja poucas vezes na timeline. Possivelmente, o presidente vê mais posts de perfis que insultam a mídia de maneira supostamente irônica, como “Foice de S.Paulo” e “Falha de S.Paulo”.

Outra possível fonte de alguma crítica no oceano de bajulação que o presidente montou é o perfil do ex-ministro da Saúde Nelson Teich, que foi mantido na lista de seguidos apesar de não subscrever a maneira do governo lidar com a pandemia quando entrevistado pela grande mídia.

Na falta de mais críticas, sobra espaço na timeline bolsonarista para a reafirmação de suas ideias e até para perfis de conteúdo mais picante/adulto, como este perfil:.

Presidente é ilustre seguidor da modelo

Veja outros exemplos do que o presidente vê quando rola a timeline do Twitter:

Timeline de Bolsonaro no Twitter
Os interesses presidenciais nas redes

Apesar de produzir muitas polêmicas com posts próprios nas redes, o presidente procura manter sua interação virtual dentro de limites institucionais na maior parte do tempo. A maioria dos posts que o presidente curte ou compartilha é de órgãos públicos federais e de ministros do governo.

Na última semana, porém, Bolsonaro mostrou que não está alheio aos debates em torno do programa Big Brother Brasil, da Rede Globo. Não sabemos por quem o presidente torce no programa, mas com certeza não é pela concorrente Juliette.

Presidente não gosta de Juliette, participante do BBB

Apesar de poucos likes como esse, em um post sobre o BBB, é possível ver sinais dos gostos do presidente pelos perfis que ele segue nas redes. A música que o presidente mais segue é, de longe, o sertanejo, de nomes mais tradicionais, como Zezé de Camargo e Luciano, a ícones recentes, como Gusttavo Lima.

Entre os esportes, futebol e MMA dividem a atenção de Bolsonaro com automobilismo e alguma coisa de ciclismo.

A ala internacional

Apesar de não entender inglês, o presidente brasileiro marca posição nas relações internacionais nas redes seguindo principalmente perfis alinhados. O ex-presidente norte-americano Donald Trump ele não segue mais no Twitter, porque o perfil foi excluído pela plataforma, mas continua acompanhando no Instagram. O senador republicano Marco Rubio e o ex-advogado de Trump Rudy Giuliani também estão na lista.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, também são seguidos por Bolsonaro, além de Narendra Modi, da Índia, mas nada de Angela Merkel ou Emmanuel Macron, líderes, respectivamente, da Alemanha e da França. O chinês Xi Jimping também não aparece entre os seguidos pelo presidente brasileiro.

O novo presidente dos EUA, Joe Biden, ganhou uma chance na timeline de Bolsonaro, mas é uma exceção. Na Argentina, por exemplo, Bolsonaro segue o ex-presidente Maurício Macri, de quem gosta, mas não acompanha as postagens do esquerdista Alberto Fernandez, atual ocupante da Casa Rosada.

A lista completa

Nos gráficos abaixo é possível fazer uma busca pelos perfis seguidos pelo presidente em cada rede:

Mais timeline

Veja mais exemplos da timeline do presidente Jair Bolsonaro no Instagram:

timeline de bolsonaro no Instagram

timeline de bolsonaro no Instagram

timeline de bolsonaro no Instagram

 

Mais lidas
Últimas notícias