Sem dinheiro à vista, venda da Eletrobras corre perigo na Câmara

Lyra está atrás do dinheiro que o governo preferiu segurar, irritando os deputados

A equipe econômica do governo do presidente Jair Bolsonaro decidiu segurar o pagamento das emendas parlamentares ao Orçamento deste ano, já que ele só foi aprovado no final de março.

Nas próximas horas, porém, subirá a pressão pela abertura dos cofres, segundo a mais recente edição do TAG REPORT, assinado pelas jornalistas Helena Chagas e Lydia Medeiros.

Deputados já mandaram avisar que querem o pagamento da fatura antes de votar a Medida Provisória (MP) que privatizou a Eletrobras. O prazo de validade da MP esgota-se amanhã.

O presidente da Câmara, Arthur Lyra (PP-AL), corre atrás do dinheiro.