Que falta faz Bolsonaro para muitos dos seus devotos. Volta logo!

Saudades de quem no passado atendia pelo apelido de Cavalão

atualizado 19/09/2021 7:23

Cerimônia do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações conta com a presença do presidente bolsonaro, lira e pacheco 7 Rafaela Felicciano/Metrópoles

Bons tempos aqueles em que Jair Bolsonaro, chamado de Cavalão quando servia ao Exército, dava coices e pancadas nos demais Poderes e em quem mais contrariasse suas vontades.

Jairzinho paz e amor é o oposto de Bolsonaro, e isso os devotos do presidente não entenderam desde que ele apareceu pela primeira vez, completará 10 dias esta tarde.

Alguns devotos até se esforçam, e para dissimular seu desconforto saem espalhando nas redes sociais que tudo não passa de estratégia de um refinado jogador de xadrez.

Mas outros não. Parece ser o caso dos pastores evangélicos que pressionam senadores a aprovar com urgência a indicação de André Mendonça para ministro do Supremo Tribunal Federal.

Eles querem porque querem que Bolsonaro pise no calo dos senadores, ou agrade-os com a oferta de cargos e de outras sinecuras para que Mendonça terrivelmente evangélico chegue lá.

Sinto muito, mas não é mais assim. Isso seria coisa de Bolsonaro, jamais de Jairzinho. Mendonça subiu no telhado e, de lá, tudo observa e já não sabe mais o que fazer.