Kassab convida para entrar no seu partido quem quiser ir

O principal alvo do ataque especulativo disparado pelo ex-prefeito de São Paulo é o DEM, de onde ele saiu em 2011 para fundar o PSD

atualizado 13/05/2021 17:20

José Cruz/Agência Brasil

Inimigos, Gilberto Kassab, presidente do PSD, não tem. Aprendeu a lição que na política não existe jamais. Adversários, tem aos montes, mas poucos com quem não possa conversar.

Enquanto conversa à direita e à esquerda a pretexto de procurar um candidato de centro para enfrentar Lula e Bolsonaro na eleição do próximo ano, vai passando o rodo no DEM.

Kassab filiou-se ao PFL (atual DEM) em 1995. Elegeu-se e se reelegeu prefeito de São Paulo. Em 2011, saiu do DEM para fundar o PSD, um partido que não é de direita, esquerda e nem de centro.

Não o convide tão cedo para sentar à mesma mesa com ACM Neto, ex-prefeito de Salvador e presidente do DEM. Se convidar, ele sentará. ACM Neto é que não. Está furioso com Kassab.

Eduardo Paes, prefeito do Rio, e Rodrigo Maia, ex-presidente da Câmara, estão de saída do DEM para o PSD. Kassab disputa com ACM Neto o passe de Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

Deputados federais e estaduais do DEM, preocupados com a reeleição, sentem-se tentados a migrar para o PSD, que escancarou as portas para entrar quem quiser.

Kassab confessa que só quer distância de uma pessoa – do presidente Jair Bolsonaro. Se der Lula e Bolsonaro no segundo turno, apoiará Lula sem pestanejar.

Quanto a bolsonaristas desgostosos ou arrependidos que queiram sair do lado do presidente, serão bem-vindos ao PSD.