Governo federal desmente que tenha encomendado chuvas à médium

O que levou técnicos do Ministério das Minas e Energia a se reunirem com porta-voz da Fundação Cacique Cobra Coral

atualizado 17/10/2021 14:31

Em agosto último, uma mensagem dirigida ao almirante Bento Albuquerque, ministro das Minas e Energia, chamou a atenção dos seus auxiliares mais próximos. O cabeçalho dizia assim:

“Dirigida ao Ministro Bento Costa Leite de Albuquerque: Blackout no Centro Sul a partir de 16/10/21 se medidas urgentes não forem adotadas, devido nem tanto ao atraso no período chuvoso, mas às precipitações irregulares no Centro Sul do país.”

Os reservatórios de água estavam num nível muito baixo, e o risco de um apagão de energia elétrica assombrava o governo. Seguem os principais trechos da mensagem:

“Aproximando-se a tragédia anunciada acima, no momento em que a economia nacional vai começar a aquecer e que poderá ser engessada por falta de água e luz, vimos pelo presente solicitar uma audiência extra-agenda para ontem, a fim de tratarmos da tragédia econômica e energética e os meios para recuperar tais precipitações irregulares no lugar certo ainda na estação do inverno que se finda, e a primavera, cujo verão precisa ser antecipado já na primavera.”

“Setembro é um mês que gera grande expectativa na maioria dos produtores rurais do Brasil. É o período que marca o retorno das chuvas e o início do plantio da safra do verão 2021/2022.”

“Neste ano também devemos ter atrasos no regime de chuvas nas principais áreas produtoras do país, mas se agirmos rápido, com uma nova redistribuição de chuvas, é possível que não seja algo tão grave quanto no ano passado, embora o nível dos reservatórios atuais estejam alarmantes e será usado como munição para atingir o atual governo.”

A mensagem era assinada por “Dr. Osmar Santos, Government Relations”. Abaixo do nome, o endereço www.tunikito.com.br – e a informação: Mantenedora oficial da www.fccc.org.br

Osmar é o porta-voz da médium Adelaide Scritori, que diz incorporar o espírito da entidade Cacique Cobra Coral, detentora do poder de desviar chuvas e controlar o tempo.

O primeiro endereço fornecido por Osmar é da Tunikito, “um conglomerado de empresas que há mais de 20 anos tem se dedicado ao setor de seguros de automóveis, consultoria, administração e participação, representação comercial, locação de veículos importados e meteorologia em todo o mundo

Ali, clicando-se no item “Clima”, consta:

“Com o Know-How de mais de 30 anos na área de previsão do tempo, a Tunikito Corp. conta com os melhores e mais bem preparados Cientistas da área climatológica da América Latina, garantindo assim 95% de acerto na previsão e análise do tempo.”

“A qualidade das previsões está na carteira de clientes governamentais que requisitam os serviços, tais como a Presidência da República, os Ministérios da Agricultura e Minas e Energia, além dos Governos dos Estados de SC, PR, MS, RJ, CE, RS, além de 17 Países em 3 Continentes”.

O endereço fccc remete ao site da Fundação Cacique Cobra Coral, “luz que ilumina os fracos e confunde os poderosos”. Entre as várias notícias ali oferecidas para comprovar o acerto das previsões da médium, destaca-se uma:

11 DE SETEMBRO – 20 ANOS DEPOIS

MÉDIUM BRASILEIRA ALERTOU GOVERNO DOS EUA SOBRE TRAGÉDIA –  Em uma carta postada no dia 3 de agosto de 2011, FCCC avisa USA o que poderia acontecer. A Fundação Cacique Cobra Coral – entidade que se auto-intitula como “esotérica e científica” e é voltada para previsões climáticas, com sede na cidade de Guarulhos, em São Paulo – afirmou, nesta sexta-feira, que sua presidente, a médium Adelaide Scritori, previu os ataques terroristas aos Estados Unidos e alertou o presidente George W. Bush, em uma carta postada no dia 3 de agosto.”

Uma notícia mais antiga, de 2016, dá conta que a fundação estava se transferindo do Brasil para a China, “onde tentará reduzir a poluição através das chuvas. A médium Adelaide Scritori recebeu proposta de um contrato irrecusável e embarca quarta-feira para Shangai. Adelaide diz ter recusado convite semelhante da Austrália, no ano passado.”

A audiência extra-agenda, pedida com urgência ao ministro Bento Albuquerque, aconteceu finalmente na última quinta-feira, antevéspera da tragédia anunciada que até a esta hora ainda não ocorreu. Foi virtual. O porta-voz da médium ficou face a face com três técnicos do ministério. À VEJA, ele disse que ouviu um apelo:

– Faça chover.

O ministério desmente que o apelo tenha sido feito e explica que apenas costuma atender pedidos de reunião relacionados com assuntos de sua competência.