Blog com notícias, comentários, charges e enquetes sobre o que acontece na política brasileira. Por Ricardo Noblat e equipe

18 anos Blog do Noblat

A eleição presidencial está sendo comprada com muito dinheiro

É a maior intervenção econômica em ano eleitoral de 1994 para cá

atualizado 13/08/2022 4:05

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Trata-se, decerto, como diz, hoje, o editorial da Folha de São Paulo, da maior intervenção econômica num ano eleitoral desde o Plano Real, lançado em julho de 1994.

Com a diferença de que o Real entregou o que prometeu – baixa inflação e sob controle. O pacote de bondades de Bolsonaro foi feito às pressas e seu prazo de validade termina em dezembro.

Quer dizer: trata-se de um conjunto de medidas com o único objetivo de aumentar as chances de Bolsonaro se reeleger. Dito de outra maneira: é uma tentativa descarada de comprar as eleições.

No ano eleitoral de 2018, o Bolsa Família gastava 3,3 bilhões de reais ao mês, em valores corrigidos. Neste agosto, Bolsonaro gastará 12,1 bilhões com o novo Auxílio Brasil de 600 reais.

O valor ampliado do auxílio chegará a 20,2 milhões de famílias. Segundo o Datafolha, 1 de cada 4 brasileiros aptos a votar recebe ou mora com alguém com alguém que recebe o benefício.

Como pensar que o pacote escandalosamente eleitoreiro não se refletirá nas de intenções de votos dos candidatos e não influenciará nos resultados das eleições? Foi concebido para isso.

Últimas do Blog