metropoles.com

Governo teme CPI da Braskem, mas não fará oposição pública

Comissão deve ser instalada na próxima terça (12/12) em vitória de Renan Calheiros

atualizado

Compartilhar notícia

Michael Melo/Metrópoles
Renan Calheiros
1 de 1 Renan Calheiros - Foto: Michael Melo/Metrópoles

Prestes a ser instalada na Câmara, a CPI da Braskem pode dar uma leve de cabeça para o governo federal. A investigação que focará na atuação da petroquímica pode respingar na Petrobras, a segunda maior acionista da empresa.

Por isso, o PT não indicou ainda os seus senadores que farão parte da CPI. O partido deve fazer isso amanhã (10/10), às vésperas da instalação do colegiado. O receio do PT é que Renan Calheiros (MDB-AL) pressione para a comissão investigar os contratos entre os acionistas. Só em 2022, a Braskem pagou R$ 7,8 bilhões em dividendos para acionistas, mesmo registrando prejuízos com multas. 

Mesmo contrariado, o governo não fará oposição pública e tentará, inclusive, surfar na comoção que a CPI certamente irá gerar. A ordem é que os senadores do Partido dos Trabalhadores atuem com Renan Calheiros para a comissão ter plenos resultados.

Em vitória no Senado, Renan terá sua CPI instalada na próxima terça-feira (12/12). O colegiado deverá ter Omar Aziz (PSD-AM) como presidente e Cid Gomes (PDT-CE) como relator.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comBlog do Noblat

Você quer ficar por dentro da coluna Blog do Noblat e receber notificações em tempo real?