Blog com notícias, comentários, charges e enquetes sobre o que acontece na política brasileira. Por Ricardo Noblat e equipe

18 anos Blog do Noblat

Na volta do recesso, Câmara irá votar a venda dos imóveis funcionais

Proposta incluí apartamentos de ministros de tribunais superiores, de deputados e senadores e estima arrecadar, se aprovado, R$ 1 bilhão

atualizado 16/01/2022 23:05

Jacqueline Lisboa/Esp. Metrópoles

No retorno dos trabalhos da Câmara, se houver boa vontade dos parlamentares, seguirá em tramitação projeto que prevê a venda dos chamados imóveis funcionais, que pertencem aa União, e amplia a lista de apartamentos que podem ser vendidos. Na nova relação, são inluídos os destinados a deputados, senadores e ministros do Tribunal de Contas da União (TCU), do Supremo Tribunal Federal (STF) e outros segmentos da administração federal, como servidores do Itamaraty.

O montante arrecadado com a venda desses imóveis – estimado em R$ 1 bilhão pelos autores da proposta – seria destinado a ações de combate ao Covid-19.

O argumento é simples e direto: esses imóveis foram distribuídos há 60 anos, quando Brasília foi construída e era estímulo para as autoridades seguirem para a nova capital federal. Agora, todos recebem muito bem e não há necessidade desse gasto milionário do erário.

“Essa situação se mostra superada, e o que era uma iniciativa de estímulo a consolidação da cidade como nossa capital, se transformou com o passar do tempo em privilégio que num momento difícil como este, nos dá a chance de
fazer este gesto de demonstração de que as principais instituições do estado brasileiro estão imbuídas em colaborar para que possamos vencer esse momento difícil da vida do país” – diz o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), um dos autores do projeto, que já foi aprovado

O projeto já foi aprovado na Comissão de Trabalho, mas ainda precisa passar por outras duas – Finanças e Tributação e CCJ – para seguir ao Senado.

Últimas do Blog