*

Refrigerante, chocolate, macarrão instantâneo e outros produtos, que antes eram consumidos sem moderação, hoje são vistos como vilões. Para acompanhar a onda consciente, as empresas têm lançado opções mais saudáveis das guloseimas que a gente adora.

Mas será que os rótulos que indicam “orgânico”, “zero”, “integral” e “natural” são realmente uma boa aposta para quem deseja fazer escolhas alimentares melhores?

Conversamos com as nutricionistas Daiane e Cíntia Souza, da Nutricionistas & Funcional, que analisaram os rótulos de alguns produtos alimentícios e falaram se realmente é uma boa troca ou só enganação.

“O principal critério que deve ser utilizado é a ordem dos ingredientes. No mundo todo, a descrição dos componentes é feita de forma decrescente, então o primeiro elemento diz muito sobre a qualidade do alimento (industrializado). Tem outro detalhe: quanto menor for a lista de ingredientes, melhor. É um sinal de que menos químicos/aditivos foram acrescentados e que o produto é basicamente ‘aquilo que você está comprando mesmo'”, explicam as nutricionistas.

Testamos versões “saudáveis” de produtos mal vistos pela geração saúde e contamos sobre o gosto, preço e onde encontrar:

  • Achocolatado vitaminado X achocolatado 
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: O gosto não é tão forte quanto o dos achocolatados tradicionais. Isso porque não leva açúcar, mas é gostoso. Para quem faz batidas e receitas saudáveis também é um ótimo substituto.

As nutricionistas falaram: Excelente produto. Só pela lista dos ingredientes não começar pelo açúcar, já é ótimo. Os demais achocolatados (Nescau versão normal e light, Toddy versão normal e light e Native orgânico) começam com açúcar na listagem dos componentes.

Preço e onde encontrar:  R$ 49,90/Eleve Mercado Saudável; Americanas.com; Mundo Verde

 

  • Barutella x creme de avelã
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: Não lembra em nada o gosto da tradicional Nutella, mas não se desanime. Parece muito com brigadeiro e pode ser facilmente substituído pela iguaria brasileira. Tem um “crocante” que o deixa ainda mais gostoso.

As nutricionistas falaram: Ainda que seja uma boa mistura de chocolate amargo com castanha de baru, a lista começa com açúcar. O tipo é demerara e orgânico, o que é melhor do que um açúcar branco comum (cristal), mas seria realmente saudável se a lista de ingredientes não começasse com açúcar. Depois, encontramos na lista itens como chantilly e óleo de girassol.

Preço e onde encontrar:  R$ 13,40/Eleve Mercado Saudável; La Palma; SuperAdega

 

  • Chocolate Zero Leite X chocolate 
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: O produto é bem macio, nem parece que é zero leite, e o gosto não perde em nada para um chocolate ao leite. O sabor escolhido tem um toque de menta, que também foi aprovado.

As nutricionistas falaram: O primeiro item é açúcar, então já não considero um produto saudável. No rótulo vem escrito que é zero leite e 40% cacau. Mas se o cacau é o segundo item da relação de ingredientes, então entende-se que mais de 40% são açúcar. Um bom chocolate começa com cacau ou massa de cacau. E, como tudo, quanto menor a lista de ingredientes, melhor.

Outro grande erro: gordura vegetal. Esse é um segundo nome para a famosa gordura trans, que é proibida. Um bom chocolate tem gordura como manteiga de cacau e não tem adição de gordura trans. Todo produto que tiver gordura vegetal ou hidrogenada não merece a sua atenção.

Preço e onde encontrar:  R$ 9,90/Eleve Mercado Saudável; Extra;

 

  • Ceboloko Orgânico X salgadinho sabor cebola
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: O gosto é bom e até o cheiro é igual ao dos salgadinhos de cebola que não seguem a linha saudável. Se não fosse a embalagem, passaria facilmente por um salgadinho comum.

As nutricionistas falaram: Vantagens: comparado ao Cebolitos, o milho e o arroz do Ceboloko são integrais, a gordura é a mesma, porém a do Ceboloko é orgânica. O sabor de cebola do Ceboloko é natural. No Cebolitos, por exemplo, contém açúcar, xarope de milho, óleo vegetal, realçador de sabor glutamato monossódico e antiumectante dióxido de silício aromatizante. Esses ingredientes a mais dos que contém o Ceboloko, fazem do Cebolitos mais artificial e industrializado. O Ceboloko é uma opção saudável, sim, quando o lanche escolhido for salgadinho sabor cebola.

Preço e onde encontrar:  R$ 4,80/Eleve Mercado SaudávelAmericanas.comExtra;

 

  • Refrigerante Orgânico Natural de Guaraná X refrigerante de guaraná 
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: O gosto é bom. Dá pra sentir o sabor do guaraná, mas é mais suave que o refrigerante normal. Passaria despercebido por uma marca não zero.

As nutricionistas falaram: As alterações do produto não o tornam saudável. Continua sendo uma bebida açucarada, cujo consumo está relacionado a doenças crônicas, como obesidade e diabetes. Isto é: a composição do refrigerante Wewi é melhor por ser sem sódio, conservantes e conter ingredientes orgânicos, mas continua sendo não saudável.

Preço e onde encontrar:  R$ 5,95/Eleve Mercado Saudável; Mundo Verde

 

  • Molho de Tomate Orgânico X molho de tomate
    Felipe Menezes/ Metrópoles

Nós provamos: Por ser bem natural, tem o gosto mais leve. Deve ser salgado a gosto, pois não vem com sal.

As nutricionistas falaram: Opção bem saudável. A lista de ingredientes tem apenas tomate, alho e azeite. Está ótimo e vale a substituição.

Preço e onde encontrar: R$ 14,50/ Empório Fazenda Malunga 

 

  • Massa caseira instantânea e integral X macarrão instantâneo
    Felipe Menezes/ Metrópoles

Nós provamos: O gosto realmente não lembra em nada as massas instantâneas que não seguem a linha saudável. A coloração e o aroma também são diferentes. O molho tem um sabor marcante e deixa o macarrão bem temperado.

As nutricionistas falaram: A massa é composta basicamente por farinha integral. O molho é feito com itens naturais. É sim um substituto mais saudável para quem busca a praticidade dos macarrões instantâneos.

Preço e onde encontrar: R$ 6,95/ Empório Fazenda MalungaMundo Verde

 

  • Bebida Fermentada de Kefir Tangerina X refrigerante de laranja
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: Se pudesse comparar com algum gosto já conhecido, seria com Schweppes Citrus, só que de tangerina. Dividiu opiniões, mas, no geral, foi bem aceito. É refrescante e mata a vontade do refrigerante em um dia quente.

As nutricionistas falaram: Está ótimo, composto principalmente de sucos concentrados, açúcar está quase no final da lista, além de kefir na composição, que é excelente. 

Preço e onde encontrar:  R$ 14,90/Eleve Mercado Saudável

 

  • Bolinhas de cacau X bolinhas de chocolate
Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: Dividiu opiniões. Enquanto algumas pessoas da redação não gostaram do sabor ou acharam indiferente, outras acharam bom e trocariam a versão normal pela light.

As nutricionistas falaram: A lista de ingredientes é boa e os produtos em maior quantidade são quinoa e massa de cacau, o que é bom. Não tem açúcar, mas é importante observar um detalhe: existem quatro tipos de adoçantes no produto (malitol, xilitol, polidextrose e sucralose). Mesmo que não tenha açúcar em sua composição, adoçante também não é uma opção saudável.

Preço e onde encontrar:  R$ 15,90/Eleve Mercado Saudável

 

  • Pipoca de Micro-ondas Zero X pipoca de micro-ondas
    Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: O gosto da pipoca zero é igual a qualquer outra pipoca de micro-ondas. Não tem manteiga, óbvio, e muito menos abundância de sal – características que eu particularmente prefiro. É salgada do jeito que uma pipoca tem que ser. Se você é fã das pipocas vendidas no cinema, vai preferir acrescentar sal na sua porção.

As nutricionistas falaram: Vantagens: não contém óleo na composição e o sal usado é nas versões integral e light. Principalmente o integral é mais saudável se comparado ao sal e aos temperos artificiais usados na versão tradicional: realçadores de sabor glutamato monossódico e inosinato de sódio, acidulante ácido cítrico, antiumectante dióxido de silício e aromatizaste.

Preço e onde encontrar:  R$ 5/Eleve Mercado SaudávelMundo Verde; BioMundo

 

  • Pipoca natural com melado de cana X pipoca doce de saquinho
Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: O sabor é muito parecido com o da pipoca doce vendida em saquinho. Se fosse um teste de olhos fechados, não diríamos que é uma versão saudável.

As nutricionistas falaram: Uma lista de três ingredientes simples e isso é bom. Além do milho, tem melado de cana e rapadura, que são formas mais saudáveis de adoçar. Outro ponto positivo é que não tem conservantes. Se consumido sem exageros, dá para ser uma opção saudável. Evite o excesso, pois milho, melado e rapadura são carboidratos.

Preço e onde encontrar: R$ 1,95/Eleve Mercado Saudável;

 

  • Canjica de milho com sal marinho X pipoca salgada de saquinho
Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: Parece aquela pipoca doce do saquinho rosa, mas é salgada. Bem gostosa, boa para comer à tarde, quando falta um salzinho no dia.

As nutricionistas falaram: O fato de ser sal marinho é ótimo, mas o óleo de soja é uma gordura não saudável. Vendo a tabela de composição, os dois percentuais de valor diário (coluna da esquerda na tabela) mais altos são sódio e gordura. Por esses motivos, a canjica não é uma boa alternativa saudável.

Preço e onde encontrar:  R$ 2,70/Eleve Mercado SaudávelMundo Verde; BioMundo; Pão de Açúcar

 

  • Chips mix de batata doce X batata chips
Felipe Menezes/Metrópoles

Nós provamos: A batata é sequinha e crocante, nem parece assada. A roxa e a branca têm o mesmo gosto. É muito boa e não fica atrás das famosas batatas chips tradicionais. 

As nutricionistas falaram: Vantagens: tem mais fibras com menos gordura e sódio na mesma porção, quando comparado às batatas chips Ruffles. E a batata doce possui um perfil de carboidrato (quantidade e velocidade de absorção) melhor que o da batata inglesa, logo a qualidade final também será melhor. Pode sim ser uma opção saudável.

Preço e onde encontrar:  R$ 7,50/Eleve Mercado SaudávelMundo Verde; BioMundoSuperAdega

 



COMENTE

 
Fitnessorgânicosfitprodutos naturaisSaudáveis