*

Mais uma vez o óleo de coco se encontra no meio do furacão. Um novo veredito da Associação Americana do Coração coloca o queridinho do momento como vilão.

De acordo com a instituição, esse óleo tem 82% de gordura saturada, ou seja, mais que a manteiga, a gordura bovina e a banha de porco. O grande problema da gordura saturada é o poder de aumentar o nível de colesterol ruim no sangue que, quando está muito alto, pode entupir veias ou artérias, e provocar infartos e derrames.

A solução é maneirar no consumo do produto e não se jogar achando que está fazendo uma escolha livre de malefícios. Afinal, é preciso lembrar que o óleo de coco é um alimento rico em gordura saturada.

Outros óleos vegetais foram apontados como opções mais saudáveis, como o de girassol e o clássico azeite, ricos em gordura insaturada, que fazem bem ao organismo.

Os pesquisadores reforçam que o corpo precisa, sim, de gorduras – pois elas são fonte de ácidos graxos essenciais e ajudam o organismo a absorver as vitaminas A, D e E –, no entanto, é preciso escolher bem qual tipo de gordura ingerir.



COMENTE

 
dietaóleo de cocogordura