*
">

Tom Ford é um dos estilistas norte-americanos mais respeitados do mundo. Ele já vestiu Beyoncé, Angelina Jolie, Rihanna e Julianne Moore. E inclusive criou um modelo sob medida para a primeira-dama Michelle Obama.

Alex Wong/Getty Images

Mas em entrevista ao programa “The View”, na última quarta-feira (30/11), ele revelou que já se recusou a vestir Melania Trump, a mulher do presidente eleito dos Estados Unidos Donald Trump. “Há alguns anos, me pediram para trabalhar com ela, mas eu não aceitei”, revelou o estilista. O motivo? “Ela não combina com a minha marca”, resumiu.

Apesar dela assumir o posto de primeira-dama dos Estados Unidos em 2017, Ford revelou que ele não vai mudar de ideia. “Minhas roupas são muito caras para uma mulher na posição que ela vai ocupar, ela tem que criar uma imagem que vai se relacionar com todo mundo. Isso vai ser difícil usando vestidos com preço alto. Se Hillary tivesse ganhado, eu teria dito a mesma coisa”, concluiu.

Chris Jackson - WPA Pool/Getty Images

Em 2011, entretanto, a atual primeira-dama Michelle Obama usou uma peça exclusiva do estilista em um jantar com a família real britânica no Palácio de Buckingham. “Era um jantar com a Rainha da Inglaterra, achei apropriado participar desse momento”, resumiu. Por ser um vestido único, não se sabe o valor exato pago pela criação. Mas a linha premium de Ford, não sai por menos de R$ 17 mil (US$ 5 mil).

Histórico
Esse não é o primeiro estilista a se negar a vestir Melania. Em novembro, Sophie Theallet anunciou que não vai trabalhar com a nova primeira-dama e convocou outros colegas a fazer o mesmo. “Como imigrante neste país, fui abençoada em poder perseguir meus sonhos nos Estados Unidos. Vestir a primeira-dama Michelle Obama nos últimos oito anos foi uma honra. E como uma pessoa que celebra a diversidade, a liberdade e tem respeito por todos os estilos de vida, eu não vou vestir ou me associar à próxima primeira-dama. A retórica de racismo, sexismo e xenofobia desencadeada pela campanha do marido dela são incompatíveis com os valores que compartilhamos”, diz Sophie Theallet.





COMENTE

 
donald trumpestados unidosMelania TrumpMichelle Obama