*

O estupro da escritora Clara Averbuck veio à tona na segunda-feira (28/8) quando ela fez um relato sobre a violência vivida em um Uber. A partir disso, a internet se mobilizou e criou a campanha #MeuMotoristaAbusador. Na terça-feira (29/8), outro caso impactou o país: um homem chamado Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, ejaculou no pescoço de uma passageira em um ônibus em São Paulo.

O juiz José Eugênio do Amaral Souza Neto liberou o acusado por entender que “não houve constrangimento tampouco violência ou grave ameaça, pois a vítima estava sentada em um banco de ônibus, quando foi surpreendida pela ejaculação do indiciado”.

Na visão dele, o acontecido não se trata de estupro, crime pelo qual Diego já foi acusado de ter cometido cinco vezes. Diante à muita indignação, a internet se organizou mais uma vez e lançou a campanha #MEUCORPONÃOÉPÚBLICO.

Dessa vez, o objetivo é colar e distribuir o maior número possível de cartazes que conscientizam que o corpo feminino não é público. O slogan da campanha é “Pôsteres em alta resolução pra você salvar, imprimir, colar no busão, no ponto, e na cara da sociedade”.

Confira alguns cartazes do #MEUCORPONÃOÉPÚBLICO:



COMENTE

 
assédio sexual#Assédio