*

Segundo uma reportagem veiculada neste domingo (24/4) no Fantástico, oito modelos de várias partes do país, que participaram do relançamento da revista Playboy, foram assediadas por dois dos donos da publicação no Brasil. André Sanseverino e Marcos Aurélio de Abreu Rodrigues e Silva teriam feito propostas indecorosas às moças em troca de espaço na revista e em próximos eventos. As modelos se juntaram e entraram na justiça contra a dupla.

Sanseverino, que era fotógrafo da Playboy quando a revista ainda era da Editora Abril, se tornou sócio quando a empresa vendeu a marca. Com a desculpa de que queria reformular a imagem das coelhinhas, como são conhecidas as modelos da revista, e também levar à fama mulheres comuns, o empresário pediu fotos nuas das modelos, fez perguntas íntimas e insistiu em encontros. Frente à negativa das moças, “lamentou” ter que terminar o vínculo.

Já Marcos Aurélio, que tem uma empresa de recursos humanos, foi acusado de ter assediado as modelos durante a festa, que aconteceu em agosto de 2016. Em entrevista ao Fantástico, o empresário afirmou que estava acompanhado de sua esposa durante o evento e negou as acusações.

Em nota, a Playboy Brasil declarou repúdio a toda forma de desrespeito contra a mulher e afirmou que André Sanseverino foi totalmente afastado da publicação por prazo indeterminado. “Acreditamos de forma franca e honesta que ele deverá colaborar para elucidar os fatos até que as denúncias sejam apuradas. A Playboy, ao longo de sua história, vem coadjuvando em defesa e em busca da liberdade e empoderamento das mulheres, não somente no Brasil, mas em todo o mundo. E não será diferente neste momento.”



COMENTE

 
assédio sexualplayboy