*

iStockPais que estão tentando engravidar já ouviram o famoso conselho: “Durma enquanto pode. Depois que o bebê chegar, adeus às noites de sono”. Os recém-nascidos têm essa má fama de não dormirem durante a noite. Até onde isso é verdade?

Uma pesquisa realizada pela Johnson’s Baby mostra que, no Brasil, de 20% a 25% dos bebês têm alguma dificuldade para dormir e somente 66% têm uma rotina consistente para dormir mais de quatro noites por semana. Foram estudadas 45 mil crianças, em quase 20 países, durante mais de 300 mil horas de sono.

Quanto mais novo, mais tempo o bebê passa dormindo (confira quadro informativo abaixo). Por isso, a pediatra intensivista Marcela Amorim Louzada explica que eles não têm ciclo dia e noite, acordam apenas para mamar ou se alguma coisa incomoda.

“Um dos motivos que tiram o sono de nenéns é a irritabilidade. Nesse período é difícil, pois eles podem estar frustrados porque não estão mamando direito e não ficam satisfeitos e, consequentemente, não dormem bem”, diz a pediatra.

A médica diz ainda que, até a criança completar um ano, os motivos para ela não estar dormindo bem são muito inespecíficos.

Joelson Santos/Metrópoles

 

Pesquisas demonstraram que, depois de apenas sete dias, bebês com hábitos fixos na hora de dormir despertam mais bem-humorados, 38% levantam com menos frequência e passam 32% menos tempo acordados. Revelaram, ainda, que quando o neném dorme melhor, a mãe também se beneficia – comparando entre o antes e o depois, as famílias com rotina se sentiram 45% menos cansadas, 54% menos irritadas e 22% mais energizadas.

Dicas para o bebê dormir melhor
A pediatra Marcela diz que o mais importante é estipular um ritual diário para o bebê. “Se todo dia ele dormir de um jeito diferente (hora, lugar), não vai saber que aquele é o momento certo de pegar no sono”, explica.

Ela aconselha que as mamães deem banho, depois amamentem – sempre em um ambiente calmo, à meia luz – evitando a movimentação da casa, de preferência no quarto. “É bom que o pequeno associe a hora do sono com o quarto dele. É ruim acostumá-lo a dormir no peito, no colo”, diz.

Outro ponto importante é não ligar televisão – as luzes podem fazer o efeito contrário e despertar a curiosidade do pequeno. Dê preferência a uma música calma, relaxante, baixinha.

 

 

Ajuda profissional
Vendo a escassez de ajuda às mães no mercado, a enfermeira obstetra Márcia Madeira criou a empresa Personal Mamãe e Bebê. Ela presta consultoria, acompanha a rotina da casa e todas as atividades do bebê, como amamentação, sono, cuidados em geral.

“Quando o bebê não tem ainda quatro meses, só trabalho mesmo a rotina e a higiene do sono. Quando tem mais de quatro meses, já consigo trabalhar o sono mesmo”, explica. Márcia conta que a higiene do sono é tirar as coisas que cercam o ambiente da criança e prejudicam a hora de dormir.

iStockA enfermeira diz que vai até a casa dos clientes e analisa a luz, os horários, a soneca – e como prolongá-la –, e a rotina do dia e da noite. “Até a roupa do bebê pode estar atrapalhando. Tem mãe que coloca muita, e a criança fica com calor; tem mãe que coloca pouca, e a criança fica com frio. Tudo está relacionado ao sono e temos que buscar acertar o que está errado”, diz.

Márcia aconselha que o quarto do bebê não tenha barulhos externos, no máximo um som baixinho. As músicas colocadas durante o dia não devem ser as mesmas da noite, para a criança saber que está na hora de dormir.

“Tudo isso sem choro, não gosto da técnica de deixar o bebê chorar até cansar. Acho que com carinho, paciência e perseverança tudo é alcançado. O sono é essencial para o crescimento e desenvolvimento da criança, então ele precisa dormir bem de dia para dormir bem à noite, se não fica muito irritado”, fala a enfermeira obstetra.

E se o problema da criança for refluxo, cólica ou qualquer outra intercorrência de saúde, Márcia diz que é fácil identificar. “Não trabalho o sono de crianças que estão em alguma situação de saúde. Primeiro indico que o bebê seja levado ao pediatra para um diagnóstico oficial. É normal chorar, mas tem choro diferenciado e depois de 20 anos trabalhando com isso, já consigo diferenciar”, diz.

Existem produtos no mercado que prometem ajudar os bebês na hora de dormir. Selecionamos algumas opções que podem dar uma mãozinha aos pais, avós, tios…

 

 



COMENTE

 
criançaBebêsono