*

Plantar um feijãozinho em um pedaço de algodão molhado e assistir ele brotar divertiu muita gente na infância. Mas o feijão perdeu a vez para uma onda muito mais gourmet – e igualmente deliciosa. O passatempo “agronômico” da criançada agora é ver cogumelos como shimeji e shitake nascendo de uma caixinha.

Os kits para o cultivo dos fungos são vendidos em lojas de produtos naturais e pela internet. A ideia é simples: fazer um buraquinho na caixa e ver brotar os esporos dia após dia, que depois viram ingrediente na cozinha. “Os kits são realmente para pessoas que não têm nenhuma formação prévia, a ideia é que seja simples”, comenta Fabrício Vítola, da Cogubrás, empresa que comercializa o Cogoo.

Segundo Fabrício, os cogumelos mais rapidinhos não demoram mais do que uma semana para brotar. Os mais demorados chegam a 15 ou 20 dias. E nem precisa de “dedo verde” para colher a gostosura. Basta saber que, no geral, eles adoram umidade e não curtem muito a luz direta do sol. Ou seja é basicamente deixar o “experimento” num ambiente úmido e sombreado e esperar.

A diferença é só a temperatura. Há as espécies mais fãs do frio e as que se dão melhor no calor. Para Brasília, por exemplo, que é quente, Fabrício indica o salmão e o cogumelo-ostra marrom. Cada um dos kits rende, em média, três colheitas. Depois, os resíduos podem ser usados como adubo.



COMENTE

 
gastronomia