*

Depois do segmento de alimentação é a vez do setor de bebidas voltar seus esforços para atender as demandas da nova geração de consumidores. Chamados de millennials ou geração Z, eles nasceram com acesso à internet e buscam levar uma vida mais natural e focada na saúde.

Conscientes dessa nova realidade, marcas como a Smirnoff e Baileys causaram burburinho nas mídias sociais após lançarem dois novos produtos: o licor Baileys vegano feito à base de leite de amêndoas e a vodca Smirnoff produzida com frutas de verdade.

A Smirnoff Sorced foi apresentada como uma bebida sem glúten, feita com 10% de suco de fruta e sem adição de xaropes ou açúcares. A novidade chegou ao mercado em três sabores: Ruby Red grapefruit, abacaxi, e cranberry com maçã. “As pessoas – especialmente adultos millennials – estão procurando autenticidade em tudo. A Smirnoff Sourced tem baixo teor calórico e os nossos três deliciosos sabores são uma ótima maneira de adicionar sabor mais real e divertido aos happy hours, brunchs e festas”, indica Jay Sethi, vice-presidente de marketing da Smirnoff.

Reprodução/Twitter

Em recente encontro realizado em São Paulo, o bureau de tendências WGSN Brasil divulgou uma pesquisa focada no perfil de consumo dos millennials e cravou: “O interesse deles por uma vida mais saudável está mudando tudo ao nosso redor. Desde o design das cozinhas modernas, dando espaço para hortas indoor, até vestuário e o gosto por baladas. Esses consumidores não são fãs de festas muito agitadas e regadas a álcool, dando preferência aos produtos naturais, por isso a indústria de bebidas alcoólicas está precisando se reinventar para poder atingir esse público.”

Além da vodca, outro produto que precisou passar por uma reformulação foi o licor Baileys. Livre de lactose e glúten, o produto batizado de Baileys Almande ganhou nova edição feita a partir de leite de amêndoa doce e baunilha, além de açúcar de cana e água purificada. Bem recebido pela comunidade vegana, o Almande já está sendo vendido nos Estados Unidos e deverá chegar ao Brasil em 2018.

Dica para degustação: sirva com muito gelo picado ou misture com água de coco para um coquetel refrescante.

Reprodução/Twitter

Além de vodca e Irish Cream, outra bebida que ganhou destaque nas redes sociais e mídia especializada foi o gim Arapuru, o primeiro London Dry Gin produzido no Brasil. Com nome inspirado no nome tupi-guarani de uma ave amazônica, a novidade foi lançada em julho e idealizada pelo eslovaco Mike Simko.

A receita do Arapuru é elaborada pelo mestre-destilador Rob Dorsett e combina ingredientes 100% nacionais. Dentre eles a imbiriba, planta do nordeste brasileiro; o puxuri, nativo da Amazônia; o pacová, presente em toda a América tropical; caju; e frutos da aroeira, árvore também nativa da América do Sul, além de ingredientes tradicionais como o zimbro, coentro, canela e cascas de frutas cítricas, somando 12 botânicos, todos sob o método de produção “one shot”, ou seja, macerados manualmente e na forma de insumos.

Divulgação

Outro charme pensado especialmente para millennials e admiradores foi a idealização da garrafa. “A marca buscou referências no movimento modernista brasileiro e também na Art Déco norte-americana e europeia para a criação da embalagem. O rótulo remete ao requinte dos anos 20 e 30, que foi um período de ouro para o consumo do gim”, explica Mariana Ceruti, responsável pela embalagem de luxo.

Ficou curioso? A venda on-line é feita pelo site oficial do gim Arapuru.



COMENTE

 
Saúde