*

Uma campanha emocionante promete ajudar as crianças que enfrentam o câncer – doença tão assustadora para os adultos – a superar os momentos difíceis de forma mais leve. Pai de uma menina que enfrentou (e venceu) a enfermidade, Sidney Campos criou um Lenço Solidário com mensagens de apoio e incentivo para os doentes.

Presidente da agência de publicidade Fields 360, Sidney queria retribuir o apoio que recebeu da Abrace durante o tratamento da filha. A ideia da campanha é que os lenços sejam como “remédios estimulantes”, suportes de quem conseguiu superar a doença. A inspiração? O paradoxo: “É uma doença que o nosso próprio corpo desenvolve e o nosso próprio corpo também cura. Por isso, o lado psicológico precisa servir como uma fonte de positividade”, comentou o vice-presidente da Fields 360, Lucas Zaiden.

A agência se uniu com a Abrace e algumas distribuidoras e gráficas para produzir, aproximadamente, 50 lenços com mensagens positivas para dar apoio aos recém-diagnosticados. O lançamento da campanha se deu no Dia Mundial de Combate ao Câncer, 8 abril, no Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB).

Leonardo Arruda/Metrópoles

O vice-presidente da Fields 360 Lucas Zaiden e a presidente da Abrace, Ilda Peliz

A presidente da Abrace, Ilda Peliz, conta que a Casa de Apoio da Abrace, localizada no Guará, é sustentada pelo voluntariado e recebe crianças diagnosticadas com câncer desde recém-nascidas até completarem 18 anos, se necessário. Ali na casa, as crianças e os adolescentes recebem todo o tipo de auxílio: acompanhamento médico, dentário e financeiro para as famílias assistidas no Distrito Federal.

Tentamos traçar uma logística de qualidade de vida para que quem mora em Brasília tenha todo o auxílio e conforto, assim como os que moram na Casa de Apoio"
Ilda Peliz

Na casa, ficam hospedadas as famílias que vêm de outros estados e precisam se manter na capital durante o tratamento. Atualmente, seis crianças diagnosticadas vivem ali. A equipe do Metrópoles acompanhou a entrega dos lencinhos para dois dos pequenos moradores da casa: José Augusto Toledo, de 4 anos, e Eduardo Lucas Correa, 3. O apego das crianças com os presentes era grande – eles não desgrudavam deles.

Leonardo Arruda/Metrópoles

Eduardo Lucas Correa e José Augusto de Souza, os inseparáveis Dudu e Zé

 

Quem auxiliou os pequeninos a colocarem seus lenços foi a estudante Renata Dias, de 24 anos, que foi assistida pela Abrace quando tinha apenas seis meses de idade. Renata contou que teve câncer nos rins e levou dois anos para superar totalmente a doença. Uma das mensagens positivas dos lenços foi escrita por ela.

José Augusto, chamado carinhosamente de Zé, foi diagnosticado com astrocitoma e mora na Abrace há sete meses. Ele veio de Anápolis (GO). Seu amigo (se não melhor amigo), Dudu, veio de Unaí (MG) e mora na casa há um mês para se tratar de uma leucemia linfoide aguda. A convivência dos dois emociona quem visita a casa.

“Vamos fazer a pose de super-herói, não é mesmo, tia?”, comentava Dudu para a psicóloga da Abrace, Thaís Baere, que auxilia as crianças e seus familiares. Para ela, o Lenço Solidário é uma iniciativa especial, que mostra como é possível ter positividade mesmo em situações tão delicadas. Os meninos usaram os lenços de diferentes formas: como capa, amarrados nos bracinhos ou nos cabelos.

 

A Abrace já atendeu mais de 1,8 mil crianças. Cerca de 79% delas são da região Centro-Oeste, outras das regiões Norte e Nordeste. Quem quiser contribuir de alguma forma pode ligar no Centro de Doações da Abrace (61 3212-6000). O atendimento de pessoas jurídicas é feito pelo Núcleo de Projetos e Parcerias (61 3209-8800).

Se quiser se voluntariar e conhecer mais, acesse o site da Abrace.



COMENTE

 
câncersolidariedade