*

O tempo passa para todos e cuidar bem da pele é muito importante em qualquer idade. Manter uma alimentação balanceada — com vitaminas, proteínas e minerais — não fumar, dormir bem, beber bastante água e fazer exercícios regularmente influenciarão diretamente na derme.

Os genes também interferem no envelhecimento da pele — dependendo dos hábitos de cada um, claro. Prestar atenção em como as nossas mães e avós reagiram ao passar do tempo pode ser uma forma interessante de prevenir ou evitar eventuais problemas.

Um dos pontos mais importantes para uma derme bonita e saudável é a prevenção ao longo do tempo, e isso envolve principalmente limpeza, hidratação e proteção solar. A dermatologista e presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), Dra, Eliandre Palermo relacionou de forma cronológica os cuidados que devemos tomar.

Infância
Foto: iStock
A pele é macia e firme. Por ser frágil e sensível, está sujeita a desenvolver alergias, assaduras e brotoejas, problemas muito comuns. A principal dica é evitar o uso de produtos com fragrâncias fortes e optar por produtos desenvolvidos exclusivamente para crianças. A idade indicativa geralmente consta nos rótulos.

Adolescência

Foto: iStock A puberdade é a fase da ebulição dos hormônios. É nela que as glândulas sebáceas se tornam mais ativas, aumentando a produção de oleosidade da pele. Por isso, muitos a consideram a mais cruel, pois é neste período que acnes e espinhas — de todos os tamanhos e intensidade — se desenvolvem com rapidez, mexendo muito com a autoestima do adolescente. Vale lembrar que os casos mais veementes necessitam de acompanhamento dermatológico. Já nas situações mais brandas o principal cuidado é: limpar bem a pele oleosa, pois isso ajudará a manter os poros desobstruídos, prevenindo o aparecimento da acne. Quem tem tendência à acne, deve usar maquiagem e produtos oil free, não-comedogênicos e com efeito matificante. O importante é não obstruir ainda mais os poros. O passo a passo de uma boa limpeza de pele é: limpar com sabonete ou loção (sem sabão) para peles mais sensíveis; esfoliar; tônicos ou adstringentes podem ou não ser usados. Para peles sensíveis é melhor pular essa etapa; hidratar com produtos oil free; usar protetor solar com filtro não oleoso.

Aos 20 anos
Foto: iStockNesta idade o foco maior é em prevenção e cuidados básicos, pois é também nessa fase que a pele se apresenta no ápice de sua firmeza. Para que ela permaneça vistosa é indispensável mantê-la sempre bem limpa e higienizada. Trata-se de uma idade em que há maior tendência ao uso de maquiagem, por isso é importante higienizar a pele com produtos específicos, usar adstringente para remover a oleosidade e aplicar demaquilante para remover a maquiagem. Outra medida importante é utilizar diariamente um filtro solar, para protegê-la dos danos causados pela radiação UV.

Aos 30 anos
Foto: iStock É aqui que podem ter início as primeiras rugas, principalmente ao redor dos olhos, da boca e na região da fronte. Pessoas de pele mais clara e com tendência à formação de vincos ao sorrir ou se expressar, precisam ficar mais atentas. Aos 30 anos, além dos cuidados básicos dos 20, recomenda-se o uso de um creme ou hidratante para prevenção de sinais com ativos, como vitamina C, Ácido Hialurônico, Vitamina E e retinol, para tratar esses primeiros sinais. A paciente também pode avaliar, em consulta com um dermatologista, a necessidade de um tratamento preventivo com aplicação de toxina botulínica, preenchimentos de linhas e sulcos ou um laser não ablativo.

Dos 40 aos 50 anos

Foto: iStock

Nesta fase podemos complementar os cuidados básicos com um tratamento específico para amenizar rugas e manchas. Aumentar o FPS do filtro solar também é importante, principalmente se a paciente já apresentar ou notar piora nas rugas ou manchas da pele. O momento é oportuno também para iniciar um tratamento mais efetivo para correção de linhas ou sinais e de reestruturação do envelhecimento facial com uma nova abordagem dos preenchedores usados de forma a sustentar e repor formas perdidas no envelhecimento. É indicado também usar um hidratante com maior poder umectante, pois a pele pode mostrar maior tendência ao ressecamento. Para mulheres desta faixa etária, podem ser indicados tratamentos com toxina botulínica também no pescoço e preenchimentos de efeito lifting na face e no contorno da mandíbula, laser e tecnologias que estimulem a renovação do colágeno, como Infravermelho e Radiofrequência.

A partir dos 60 anos
Foto: iStock Todas as mudanças ocorridas até agora se tornam mais evidentes após a sexta década. Apesar de ser inevitável viver sem as rugas, é possível amenizá-las. Todos os tratamentos anteriores se realizados na época correta podem tornam mais fáceis a manutenção dos tratamentos nesta fase. Mas, se você vai começar agora não desanime, o importante é não querer realizar tudo de forma intempestiva e escolher bem um profissional que respeite e avalie bem o seu biótipo, suas características individuais, seu estilo de vida e suas necessidades. Todos os tratamentos citados podem ser realizados incluindo as cirurgias plásticas, que podem complementar os tratamentos minimamente invasivos para manter os resultados mais duradouros e naturais. Já para aqueles que não querem cirurgias, existe uma gama de possibilidades de tratamentos não invasivos que amenizam rugas e mantem a jovialidade da pele de modo natural e seguro.

 

 



COMENTE

 
Pelecuidados