*
 

Durante Audiência de Custódia realizada nesta sexta-feira (11/8), no Fórum de Águas Claras, o juiz de direito substituto Enio Felipe da Rocha decretou a prisão preventiva do tenente coronel Jackson Douglas Ferreira, da reserva da Polícia Militar. O homem fora preso em flagrante na madrugada de quinta (10) após atirar contra agentes do Departamento de Trânsito (Detran-DF) que o pararam em uma blitz em Águas Claras. Ele responderá por tentativa de homicídio.

Na audiência, o magistrado deveria decidir entre o relaxamento do flagrante ou sua transformação em prisão preventiva. Ao destacar que não houve ilegalidade no flagrante e considerar o caso “extremamente grave”, Enio Felipe da Rocha decidiu pela segunda opção.

“… Quanto às condições de admissibilidade da custódia cautelar, verifica-se que o ato é extremamente grave, foi cometido com emprego de disparos de arma de fogo após uma abordagem de fiscalização realizada pelo Detran. Um dos disparos, ressalto, atingiu um dos agentes que trabalhavam no local”, discorreu o juiz em sua decisão. “Apesar do autuado ser primário, existe registro de uma Transação Penal recente. Ademais, a tese de primariedade por si só não é suficiente para afastar a necessidade da decretação da prisão preventiva”, acrescentou.

Segundo ele, a manutenção do acusado na cadeia garantirá a ordem pública, “pela periculosidade do agente, pelo fundado receio de reiteração da prática criminosa, pela gravidade concreta da conduta a ele imputada demonstrada pelo modus operandi de sua ação”.

O caso
De acordo com informações preliminares, uma equipe do Detran trabalhava com quatro viaturas em uma blitz. Os agentes pararam três veículos que pertenciam à mesma família. Os ocupantes dos carros haviam consumido álcool e estavam alterados, de acordo com o órgão de trânsito. Eles chegaram a receber voz de prisão dos agentes, que também solicitaram apoio da Polícia Militar.

Um dos condutores era o militar Jackson Douglas Ferreira, que se recusou a fazer o teste do bafômetro, assim como o seu filho. Ele sacou a arma e atirou contra os servidores do Detran. O colete de um dos agentes de trânsito foi atingido, e o servidor sofreu ferimentos leves. Jackson é acusado de ter feito mais quatro disparos (três para o alto).

O policial aposentado e os outros dois motoristas foram presos e encaminhados para a 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga), onde a ocorrência foi registrada. Autuado por tentativa de homicídio, o PM foi levado ao presídio da corporação.

Moradores presenciaram a confusão e postaram fotos e vídeos nas redes sociais (veja abaixo):


Em nota, a Polícia Militar disse que “reprova totalmente a conduta” do tenente coronel, “uma vez que esse tipo de atitude não condiz com a postura esperada de um profissional de segurança pública, mesmo que aposentado”. A corporação informou que todas as medidas legais cabíveis foram tomadas e reiterou o compromisso com a legalidade e com a ética profissional de policiais militares. “Desejamos uma pronta recuperação ao agente ferido”, finalizou a nota.

 

 

COMENTE

Águas ClaraspmDetranBlitztentativa de homicídioTiros
comunicar erro à redação