*
 

O bebê jogado no chão por uma enfermeira no Hospital Regional do Gama (HRG), uma hora depois de nascer na última segunda-feira (20/3), aguarda por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal. De acordo com a Secretaria de Saúde, a criança sofreu traumatismo craniano, passou por exames, como tomografia, mas está estável.

“O paciente está internado na Sala Vermelha do Hospital de Base, em um berço aquecido com suporte semelhante ao de uma UTI”, informou a pasta. A família do bebê registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil. O caso está sendo investigado pela 14ª DP (Gama).

O Sindicato dos Enfermeiros do DF (SindEnfermeiro/DF) divulgou nota, nesta quarta-feira (22), se posicionando sobre o caso. De acordo com a entidade, a mãe do recém-nascido teve que ir ao banheiro, no instante em que outra paciente precisou de ajuda. “A enfermeira, por reflexo, puxou o lençol da cama para cobrir uma cadeira para a paciente sentar. O bebê, infelizmente, estava no enrolado no lençol e caiu.”

O sindicato disse ainda que “lamenta profundamente que a criança tenha se lesionado e se coloca inteiramente à disposição para qualquer esclarecimento e colaboração.” Por fim, elencou problemas como a superlotação, alta demanda de partos, falta de berços e de estrutura no Hospital Regional do Gama.

“A estrutura do hospital é absolutamente comprometida e ultrapassada, provocando situações nas quais as mães devem se ausentar dos locais onde estão com seus recém-nascidos, por falta de banheiro”, destacou o sindicato.

 

 

 

 

COMENTE

BebêHRG
comunicar erro à redação