*
 

O fundador da Corona, uma das marcas de cerveja mais conhecidas do mundo, fez com que os 80 habitantes do vilarejo em que nasceu ficassem milionários. Antonino Fernández decidiu incluir todos os moradores da pequena Cerezales del Condado, na Espanha, em seu testamento bilionário.

Ele morreu em agosto passado, aos 99 anos, e deixou quase R$ 715 milhões para seus conterrâneos. Assim, cada um deve receber uma quantia próxima de R$ 9 milhões — suficiente para comprar quantas cervejas eles quiserem para o resto da vida. Fernández chegou ao México em 1949, aos 32 anos, e se tornou o principal nome do Grupo Modelo, responsável pela Corona.

 

 

 

 

COMENTE

cervejaHerançatestamentocoronamilionário
comunicar erro à redação