*
 

Advogada e professora universitária durante 11 anos, Claudia de Marchi decidiu trocar de área em 2015. A gaúcha de Passo Fundo, aos 34, resolveu abandonar a carreira para se tornar prostituta de luxo em Brasília. Em seu blog, ela assina como Simone Steffani, se diz culta, cinéfila e estudante autodidata de psicanálise.

Em seu diário virtual, Claudia (ou Simone) adora dar detalhes de suas aventuras sexuais em longos relatos. Também sobram fotos sensuais e imagens de presentes dados por clientes. Entre um post e outro, ela se diz realizada. “Eu amo esse meu trabalho, cara, mas eu amo mesmo! Não troco por nada!”, ela conta, após voltar de uma viagem por Porto Alegre e Campinas.

Reprodução/Blog

Sobre a clientela de Brasília, Claudia revela que é indagada com frequência a respeito de personalidades da política. Com naturalidade, ela diz que o preço (R$ 500 a hora) “é o mesmo para qualquer um”. “Logo, eu não preciso caçar político para ter prazer e ganhar o meu honesto dinheiro”, ela explica.

 

 

COMENTE

prostituiçãoclaudia de marchi
comunicar erro à redação