*
 

O dia de São Cosme e Damião, comemorado na última terça-feira (27/9), tem como tradição a distribuir sacos de doces e balinhas para a meninada. Quem nunca saiu batendo na porta dos vizinhos quando criança para saborear as delícias que essa data nos reserva?

Daquelas sacolinhas saíam motivos de alegria, mas todo mundo tinha uma lista daqueles doces que não gostava tanto, né? Elencamos neste post alguns doces não tão queridos assim. Mas vale lembrar. A lista é só de brincadeirinha, viu, galera?

Respeitamos todas as religiões e crenças. Queremos só lembrar daquele gostinho bom da infância. E vamos falar a verdade… Mesmo sem ser nossos preferidos, a gente também se lambuzava com todos esses doces.

Confira:

Reprodução

Doce de abóbora

Para uma criança, comer abóbora é tarefa difícil no almoço. Imagina na hora do lanche! Por mais que depois a gente passe a amar essa iguaria, principalmente na versão mineira, no saquinho de Cosme e Damião ela demorava a ser saboreada.

 

Reprodução

Guarda-chuva de chocolate

A cara era de chocolate, o cheiro também. Mas o gosto… Mesmo assim, ninguém deixava barato e comia tudo!

 

Reprodução

Maria-mole

Essa sobremesa ganhava uma versão meio melequenta na brincadeira. Mas até que descia bem quando acabavam as 7 Belo.

Reprodução

 

Sorvetinho

Gente, sorvete só é sorvete se for gelado. E ponto final. Não sei vocês, mas a gente se sentia meio enganado com esse “sorvete” de maria-mole, com uma textura superestranha que ainda tinha essa casquinha emborrachada. A recompensa era o balão que vinha pregado em cima e distraía a garotada.

 

Reprodução

Pipoca doce

Por mais gostosa que a pipoca doce de saquinho seja, no Cosme e Damião ela só servia para fazer volume. E dava uma tristeza danada ver o buraco que fazia no saco de doces quando tirávamos a pipoca…

 

Reprodução

Doce de banana

Era deliciosa, mas melecava TUDO! Sujava a mão, sujava o saquinho, sujava a camisa, sujava o cabelo…

 

 

COMENTE

docesCosme e Damião
comunicar erro à redação