*
 

Policiais militares prenderam um homem de 41 anos que estava quebrando diversos objetos do Hospital Regional do Gama (HRG), na madrugada desta sexta-feira (30/6). Com ajuda dos vigilantes, eles o dominaram e o levaram para a 20ª Delegacia de Polícia (Gama).

Segundo a Secretaria de Saúde, o homem acompanhava um paciente internado e tentou agredir com um suporte de soro outras pessoas que estavam no hospital. A pasta não deu mais detalhes sobre o fato. Na delegacia, ele foi autuado por dano ao patrimônio público, assinou um termo de compromisso e foi liberado.

Os casos de agressão em hospitais da rede pública são cada vez mais comuns, reflexo da insatisfação com a falta de profissionais e medicamentos. No último dia 18, uma médica, uma auxiliar de enfermagem e um vigilante foram agredidos pelo acompanhante de uma paciente que estava no Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

O homem agrediu a médica ao ser informado de que o quadro da mulher não era grave e não havia, portanto, necessidade de permanecer no box. Um vigilante foi acionado para tentar conter a confusão e acabou atingido por um soco no rosto.

Revoltado com a demora no atendimento do filho, um bombeiro de Goiás sacou a arma de fogo e bateu a pistola nas costas de um servidor do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). A confusão ocorreu em maio deste ano. O militar foi autuado em flagrante por lesão corporal e liberado depois de assinar termo de comparecimento à Justiça. A vítima foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML).

Em abril deste ano, uma discussão entre um policial militar e um médico quase acabou em tragédia no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). O bate-boca foi filmado por pessoas que estavam no local e viralizou nas redes sociais. Durante a briga, o PM chegou a sacar a arma contra o servidor, mas foi contido pelos seguranças. Segundo testemunhas, o homem ficou exaltado com o adiamento da cirurgia do filho.

 

 

 

COMENTE

agressãoHospital Regional do Gama
comunicar erro à redação