*
 

Um crime bárbaro chocou a cidade de Sidney, na Austrália. Depois de montar uma rede de canos em casa, o executivo Fernando Manrique, 44 anos, construiu uma câmara de gás que liberou monóxido de carbono pela residência, matando sua esposa, Maria Lutz, e seus dois filhos: Elisa, de 11 anos, e Martin, de 10. Ele também morreu. Os corpos foram encontrados em três cômodos diferentes na última segunda-feira (17/10). 

Reprodução

De acordo com informações do Mail Online, vizinhos garantiram à polícia australiana que viram o pai implantando o que foi classificado como “extenso, elaborado e bem planejado” sistema que espalhou o gás mortal pela casa. Os policiais não trabalham com a hipótese de que ele e a esposa tenham feito um pacto para matar toda a família. 

Um amigo da família afirmou que o casal tinha problemas em definir a melhor forma de criar seus filhos, diagnosticados com autismo. Isso teria feito os dois se distanciarem.

 

 

COMENTE

assassinatointoxicaçãocâmara de gás
comunicar erro à redação