*
 

Enquanto para alguns o orgasmo é uma experiência de puro prazer, para outros pode ser de dor. Essa pequena parcela da população talvez esteja sofrendo de uma síndrome rara, conhecida como síndrome da doença pós-orgásmica (POIS, na sigla em inglês).

Segundo reportagem da BBC, o problema só afeta os homens e traz sintomas que vão desde o cansaço extremo, dificuldades de memória e problemas de concentração a debilidade da musculatura, febre ou sudorese extrema, diarreia, calafrios, alterações do estado de ânimo, discurso incoerente, congestão nasal e olhos ardendo.

A doença foi identificada em 2002 pelo cientista holandês Marcel Waldinger, neuropsiquiatra da Universidade de Utrecht, na Holanda. Até o momento, o médico conseguiu encontrar pouco mais de 200 homens que sofrem desta síndrome. No entanto, ele acredita que a doença pode ser mais comum do que se pensa, já que muitos não falam sobre o problema por vergonha.

De acordo com reportagem, as causas ainda estão sendo estudadas. Alguns médicos acreditam que a doença pode ser resposta a uma possível alergia ao próprio sêmen ou um distúrbio neurobiológico.

Este ano, um novo estudo com 45 homens que sofrem da doença foi realizado. Com a análise dos resultados, os pesquisadores adicionaram à lista de causas uma reação autoimune ao plasma seminal. O relatório mais recente de Marcel Waldinger afirma também que a síndrome poderia estar ligada a uma disfunção da glândula pituitária e também à deficiência de testosterona.

Todos os sintomas aparecem depois do orgasmo, segundos ou poucas horas após a ejaculação. E, para piorar, pode durar entre dois e cinco dias.

Tratamento
Homens que sofrem com a síndrome da doença pós-orgásmica participam de um fórum para compartilhar suas experiências, o Fórum POIS Center. Lá, eles também falam sobre truques para tentar driblar os sintomas. Até o momento, a medida mais indicada é a abstinência sexual.

 

 

 

COMENTE

sexodoenças raras
comunicar erro à redação