*
 

O drama vivido pelas “mulheres descartáveis”, na Índia, chocou o mundo, ao ser revelado pela BBC. Elas se casam, a família paga o dote, como manda a tradição, mas os maridos as agridem e desaparecem — em geral, os homens já moram fora do país de origem e vão até lá somente para enganá-las.

As mulheres acabam como “escravas domésticas” das famílias dos cônjuges. A maioria delas acreditava que iria para o Reino Unido, onde moram alguns dos pretendentes, depois da cerimônia. Os homens, porém, fogem com as quantias que podem ser 3 mil libras (R$ 12,6 mil) em dinheiro e 4 mil libras em ouro (R$ 17 mil). Algumas chegam a pagar R$ 100 mil em dotes, mas acabam estupradas, espancadas e abandonadas.

De acordo com a BBC, “algumas vítimas chegam a passar um tempo no Reino Unido com seus maridos, mas depois, durante supostas viagens de férias à Índia, têm seus passaportes confiscados pelos maridos e ficam por lá”.

Os pais das noivas, muitas vezes de família pobre, juntam o dinheiro para oferecer um futuro feliz às filhas. Um recém-publicado relatório da Universidade de Lincoln, na Inglaterra, reuniu relatos de 57 “mulheres descartáveis”, como elas foram apelidadas.

Apanhava só por perguntar por que ele havia se casado comigo"
relata uma noiva

Uma das noivas enganadas, Sunita, relata ter passado por abusos físicos e psicológicos por parte dos sogros. “Eles me batiam apenas por eu perguntar se ele (marido) tinha uma outra mulher e por que ele havia se casado comigo”, conta Sunita à emissora inglesa.

Estou muito triste. É difícil falar disso. Ele teve relações (sexuais) comigo, minha vida está arruinada"
Sunita

Pesquisadores relatam casos semelhantes em Paquistão e Bangladesh – onde são comuns casamentos em que um dos cônjuges mora no Reino Unido, Canadá e EUA, países com uma grande diáspora de sul-asiáticos.

A reportagem completa da BBC pode ser lida aqui .

 

 

COMENTE

violência contra a mulher
comunicar erro à redação