*
 

Você não entendeu errado o título desta matéria. Uma mulher de Dublin, Irlanda, tinha uma doença um tanto quanto estranha. Ela era capaz de ouvir as cores, sentir o gosto das palavras e ver os sons. Conhecida como sinestesia, o mesmo nome da figura de linguagem, essa condição faz com que o cérebro interprete de forma diferente os sinais recebidos pelo sistema sensorial. Isso atinge uma a cada 2 mil pessoas.

No entanto, em determinado dia, essa mulher foi atingidapor um raio. Além de provocar várias sequelas, ela, de repente, perdeu essa habilidade e virou caso de estudo. Toda a experiência dela e o tratamento foram publicados em um dos mais conceituados jornais da medicina, o European Journal of Neuroscience.

Segundo a pesquisa, essa condição está mais interligada ao cérebro do que se pensava antes. “Seja lá o que causou a sinestesia, teve vida longaa e estabilizou”, escreveu um dos autores do estudo, o doutor Kevin Mitchell.

 

 

COMENTE

raiosinestesia
comunicar erro à redação