*
 

Uma mulher de 35 anos foi condenada a um ano de prisão por fingir ser prima de uma das vítimas do voo da Germanwings para conseguir viagens e estadias gratuitas oferecidas pela companhia aos parentes das vítimas. O acidente com um avião da empresa aérea ocorreu no dia 24 de março de 2015, quando a aeronave despencou nos Alpes.

Após ser condenada, a pena da acusada foi suspensa por um tribunal alemão da cidade de Colônia. A mulher não compareceu ao tribunal e ainda pode solicitar uma nova audiência. Assim sendo, a sentença não é final.

Segundo a agência de notícias, a mulher viajou duas vezes para a França no último ano usando os benefícios concedidos aos familiares. Ela levou também os filhos e um amigo nessas viagens. Além disso, teria escolhido um hotel de luxo na cidade de Marselha para se hospedar, dando uma despesa de mais de 15 mil euros à empresa que detém a companhia aérea Germanwings.

O acidente
O Airbus A320 da Germanwings, que fazia a ligação entre Barcelona (Espanha) e Düsseldorf (Alemanha), caiu matando todos os 144 passageiros e seis tripulantes.

Os investigadores concluíram que o copiloto, Andreas Lubitz, provocou deliberadamente o acidente, ao ficar sozinho na cabine e bloquear a porta do compartimento para impedir a entrada do piloto.

 

 

COMENTE

Germanwingsacidente de avião
comunicar erro à redação